Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do agente de acoplagem na estabilidade de compósitos poliméricos com fibras lignocelulósicas

Processo: 11/21488-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2011
Vigência (Término): 30 de novembro de 2013
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Márcia Aparecida da Silva Spinacé
Beneficiário:Thamires Pereira Labadessa
Instituição-sede: Centro de Ciências Naturais e Humanas (CCNH). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/00156-5 - Efeito do agente de acoplagem na estabilidade de compósitos poliméricos com fibras lignocelulósicas, AP.R
Assunto(s):Polímeros (materiais)   Materiais compósitos poliméricos   Degradação de polímeros

Resumo

Atualmenete é crescente o interesse em compósitos poliméricos reforçados com fibras lignocelulósicas visando a substituição de compósitos com fibras de vidro, pois as fibras lignocelulósicas são renováveis não são abrasivas aos equipamentos e possuem menor densidade comparado às fibras de vidro. Porém, as fibras lignocelulósicas iniciam seu processo de degradação em torno de 200 °C, limitando seu uso em compósitos com poliolefinas. As poliolefinas não possuem grupos funcionais para promover a adesão entre a fibra e a matriz, portanto é necessário o uso de agentes de acoplagem. Existe um grade número de artigos reportando o uso de agents de acoplamento visando melhorar suas propriedades. No entanto, existem poucos estudos sistemáticos a respeito da influência destes agentes de acoplagem na estabilidade destes compósitos. Neste projeto está estudada a estabilidade de compósitos de poliolefinas /fibras lignocelulósicas usando agentes de acoplagem. A estabilidade dos compósitos será estudada através de ensaios envelhecimento ambiental e acelerado e envelhecimento higrotérmico. Serão avaliados os efeitos dos agentes de acoplagem nos mecanismos de degradação através da análise das propriedades mecânicas, térmicas, morfologias, colorimétricas e espectroscópicas.