Busca avançada
Ano de início
Entree

Espectroscopia reflexiva e emissiva aplicada à classificação e controle de qualidade de matérias primas cerâmicas de depósitos brasileiros de classe mundial

Processo: 11/18830-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2011
Vigência (Término): 30 de novembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:Carlos Roberto de Souza Filho
Beneficiário:Juliano Alves de Senna
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IG). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Argilas   Espectroscopia   Sensoriamento remoto

Resumo

A Espectro-Mineralogia consiste no estudo de assinaturas espectrais de materiais geológicos geradas a partir de análises por espectroscopia ótica (EO), nas faixas do espectro reflexivo (0.4-3.0 ¼m) e emissivo (3.0-25 ¼m). A EO é uma técnica analítica que tem a função de medir a radiação eletromagnética (REM) transmitida, refletida ou emitida da superfície dos objetos, em diferentes comprimentos de onda. Este método representa a possibilidade de classificar, qualificar e identificar remotamente Matérias Primas Cerâmicas (MPCs) a partir da sua caracterização espectral, com baixo custo, rapidez e precisão operacional. As vantagens advêm de equipamentos portáteis que utilizam a radiação natural ou de uma fonte artificial, e que operam com simplicidade, baixo consumo, agilidade, isenção de insumos e sem destruição das amostras. MPCs naturais são materiais geológicos com diversas composições minerais, e que exercem papel fundamental na economia de nações desenvolvidas. Nesse contexto, os principais objetivos desta proposta são: (i) caracterização das propriedades de MPCs no espectro reflexivo e emissivo, (ii) aplicação de novos métodos de classificação destes materiais para os espectros refletido e emissivo, (iii) geração de uma biblioteca espectral interativa de MPCs do Brasil; (iv) cartografia das MPCs a partir de dados remotos em escala de depósito; e (v) elaboração de processos baseado nesta tecnologia para controle de qualidade da MPC. O Brasil possui importantes depósitos de classe mundial, como os estudos de caso aqui a investigar: (i) Agalmatolito Mateus Leme (MG), fonte de pirofillita; (ii) Siltito-Argilito Corumbataí em Limeira (SP), fonte de illita; (3) Ball-Clay de São Simão (SP), fonte de caulinita; (iv) Carbonato Talcoso Itaiacoca (PR), fonte de talco. As vantagens deste estudo incluem a possibilidade de gerenciar (controle de qualidade) minério ao longo de toda a cadeia produtiva, desde etapas in situ promovendo o stock in situ, até etapas industriais para controle de especificações rígidas durante a transformação.