Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel da Acetilcolina na Fibrose Renal

Processo: 11/19171-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2012
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Niels Olsen Saraiva Câmara
Beneficiário:Yuri Felipe de Souza Pereira Guise
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Nefrologia   Fibrose renal   Acetilcolina   Inflamação

Resumo

A acetilcolina (ACh) é um conhecido neurotransmissor que possui papel crucial no controle de diversos processos fisiológicos. Recentemente, demonstrou-se que ela faz parte de uma via antiinflamatória, denominada via colinérgica antiinflamatória, a qual é dependente principalmente do receptor nicotínico ±7 presente em macrófagos. A ativação de tal via, desencadeada por uma inflamação local, leva a redução de citocinas pró-inflamatórias, exemplificando um controle neural dos processos inflamatórios. Este projeto busca avaliar o perfil inflamatório e fibrótico de camundongos Knockdown (KD) para o transportador vesicular de acetilcolina (Vesicular Acetylcholine Transporter - VAChT) frente à obstrução unilateral do ureter (Unilateral Ureter Obstruction - UUO), ao analisar mediadores da resposta imunológica, parâmetros histológicos e infiltrado de células. A deficiência na via colinérgica antiinflamatória e consequente redução de Ach nas fendas sinápticas dos axônios vagais de animais homozigotos os levariam a apresentarem níveis inflamatórios e fibróticos mais altos do que os selvagens, refletidos em maiores níveis de RNAm de TNF±, IFN³ e IL-6, frente um insulto de UUO. Os animais serão tratados com um agonista de receptor nicotínico ±7 nos quais será investigaremos se ocorrerá reversão do quadro pró-inflamatório observado em animais KD sem tratamento. Esta pesquisa ajudará a elucidar como a via colinérgica antiinflamatória se correlaciona com os níveis de lesão do parênquima renal e a elucidar possíveis formas de reduzir a progressão da doença renal crônica.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)