Busca avançada
Ano de início
Entree

Aplicação de marcadores urinários no diagnóstico e prognóstico do câncer de próstata

Processo: 11/20638-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2012
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Alberto Azoubel Antunes
Beneficiário:Gabriel Carvalho dos Anjos Silva
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Procedimentos cirúrgicos urológicos   Neoplasias da próstata   Técnicas e procedimentos diagnósticos   Marcador molecular   Prognóstico

Resumo

O câncer de próstata (CaP) é o 2º tipo de neoplasia maligna mais frequentemente diagnosticada em homens, atrás apenas dos tumores de pele, e representa 6% de todas as causas de morte em homens no mundo. Apesar de todos os avanços da medicina nesse âmbito, incluindo a descoberta do antígeno prostático específico (PSA) há 20 anos, ainda são encontradas muitas lacunas na propedêutica do CaP. O PSA é uma proteína específica da próstata mas não do CaP e, portanto, pode se encontrar alterado em patologias benignas da próstata, como a hiperplasia de próstata (HPB), as prostatites, entre outras. Além disso, o método de escolha para o diagnóstico do CaP é a biópsia de próstata guiada por ultrassonografia, a qual deixa de diagnosticar até 30% dos tumores. Assim, é notória a necessidade de novos métodos para avaliação mais precisa do CaP e uma das opções são os marcadores biológicos do tumor. Muitos métodos de avaliação de marcadores de tumores de próstata já foram avaliados na literatura e, até o momento, nenhum marcador ainda tem potencial para substituir o PSA. A maioria desses marcadores são colhidos no tecido prostático ou no sangue dos pacientes, porém parece ser a urina o meio mais adequado para avaliação dos marcadores, já que se trata de método não-invasivo e de fácil execução. Como o CaP é uma doença de caráter multifocal e geneticamente heterogênea é provável que um único marcador não seja suficiente em avaliar com acurácia a doença e, portanto, um painel de marcadores seria o melhor meio para diagnosticar o tumor, além de poder predizer o comportamento do mesmo. Desse modo, nesse estudo, será analisado um painel de marcadores de CaP na urina dos pacientes portadores de CaP e comparados com a expressão gênica desses mesmos marcadores na urina de pacientes portadores de HPB. Além disso, será avaliada a relação dessa expressão gênica com o prognostico dos pacientes, já que também será correlacionado com pacientes portadores de CaP metastático. Os marcadores genéticos de CaP estudados serão: PCA3, PSMA, PGC, hK2, EPCA-2, GREb1, MMP9 e PSA. (AU)