Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de metabólitos secundários de duas espécies de plantas da família Solanaceae com ação antifúngica contra Moliniliophthora perniciosa (Crinipellis perniciosa)

Processo: 11/11272-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2012
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia
Pesquisador responsável:Simone Possedente de Lira
Beneficiário:Jorge Henrique Custodio
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Agricultura   Vassoura-de-bruxa   Bioatividade   Metabólitos secundários

Resumo

O Brasil que já esteve a frente do mercado exportador de cacau, mas atualmente ocupa apenas a sexta posição, contribuindo com 160 mil toneladas/ano, sendo que 70% das lavouras cacaueiras estão localizadas na região do sul da Bahia. O principal motivo pela queda brasileira na produção de cacau no cenário mundial é atribuído ao fitopatógeno responsável pela mais grave doença do cacaueiro, a vassoura-de-bruxa, uma doença causada pelo fungo Moniliophthora perniciosa (Crinipellis perniciosa), que causa danos que afetam diretamente a produção.Estudos anteriores realizados pelo nosso grupo de pesquisa comprovaram a eficácia de compostos isolados de folhas e frutos de espécies de Solanum lycopersicum com promissora atividade antifúngica "in vitro" contra M. perniciosa. Se por um lado os compostos naturais com atividades de interesse médico-farmacologica são extensivamente pesquisados por outro as de interesse agronômico são praticamente inexistentes na comunidade científica.Neste projeto apresentamos a proposta de explorar o potencial biológico e químico de metabólitos secundários produzidos por plantas da família Solanaceae que apresentem atividade biológica antifúngica a Moniliophthora perniciosa. Dentro desse contexto temos por objetivo selecionar duas espécies da família Solanaceae que após o cultivo e/ou coleta em campo, as folhas serão extraídas com solventes orgânicos gerando extratos brutos, que posteriormente terão seus compostos químicos analisados. O extrato bruto e as frações geradas serão avaliados quanto sua atividade antifúngica a Moniliophthora perniciosa.No Brasil ainda existem poucos grupos de pesquisas especializados no isolamento de metabólitos secundários de interesse agronômico com potencial a se tornarem novas opções biofungicidas naturais.