Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise do perfil de expressão de fatores de crescimento e sua relação com marcadores de inflamação e angiogênese na etiopatogenia da hiperplasia prostática benigna

Processo: 11/18409-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2012
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Alberto Azoubel Antunes
Beneficiário:Ricardo Akihiro Kirihara
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Urologia   Marcador molecular   Fatores de crescimento   Inflamação   Angiogênese

Resumo

Hiperplasia prostática benigna (HPB) é a neoplasia benigna mais comum nos homens. Apesar de amplamente estudada, a etiopatogenia da HPB ainda não foi totalmente elucidada. Imaginou-se, inicialmente, que os quadros de hiperplasia benigna pudessem resultar da produção exagerada de testosterona. Esta idéia prevaleceu por pouco tempo, uma vez que estudos demonstraram que os níveis séricos deste hormônio declinam com a idade. Da mesma forma, a adição de diidrotestosterona (DHT) a meios de cultura contendo exclusivamente células epiteliais da próstata não estimula a atividade mitogênica nem a proliferação destas células. Esta observação levou à pesquisa de outros fatores que pudessem modular a multiplicação das células prostáticas e a gênese da HPB.Fatores de crescimento (FC) são proteínas que regulam o crescimento, a diferenciação e a morte celular programada. Inúmeros estudos demonstraram que os mesmos são produzidos pelas células estromais da próstata e atuam através de mecanismos autócrinos e parácrinos exercendo uma potente ação estimuladora sobre a proliferação in vitro destas células. Apesar destes dados, a relação exata dos níveis circulantes e teciduais dos FC com o desenvolvimento e progressão da HPB, assim como a forma como eles atuam na próstata permanece, até o momento, pouco clara.As relações existentes entre os FC, o processo inflamatório local e os marcadores de angiogênese são pouco conhecidas. As linfocinas produzidas pelas células inflamatórias podem influenciar a produção local de FC e de angiogênese no tecido prostático, simulando a resposta que ocorre no processo de cicatrização de feridas. Assim, o conhecimento adequado destas relações pode contribuir para um melhor entendimento da etiopatogenia e para o encontro de novas terapias alvo que possam combater ou mesmo prevenir a ocorrência desta doença.O objetivo do estudo será avaliar as relações entre o perfil de expressão dos FC e os marcadores de inflamação e angiogênese em pacientes com diagnóstico de HPB e diferentes volumes prostáticos. Serão incluídos no estudo 45 pacientes com diagnóstico de HPB e submetidos a tratamento cirúrgico. Os pacientes serão divididos em três grupos de acordo com o volume prostático. No grupo I, serão incluídos 15 pacientes com volume prostático inferior a 30 gramas; No grupo II, serão incluídos 15 pacientes com volume prostático entre 30 e 60 gramas; e no grupo III serão incluídos 15 pacientes com volume prostático maior que 60 gramas.Após a cirurgia, será retirado um fragmento de próstata do material já ressecado do paciente (zona de transição da próstata) e congelado a -80ºC. Os fragmentos congelados serão utilizados para analise da expressão dos FC, marcadores de inflamação e angiogênese através da técnica de reação em cadeia da polimerase quantitativa em tempo real (qRT-PCR). Os FC analisados serão: EGF, FGF-2, IGF-I, TGF-²1 e PDF. Os marcadores de inflamação serão IL-2, IL-4, IL-6, IL-8 e IL-17. Os marcadores de angiogênese serão o VEGF e o CD105.