Busca avançada
Ano de início
Entree

Capitalismo dos acionistas: estratégias de investimentos dos Hedge Funds e incorporação da cultura financeira nacional

Processo: 11/21826-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2012
Vigência (Término): 31 de julho de 2012
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Sociologia - Outras Sociologias Específicas
Pesquisador responsável:Maria Chaves Jardim
Beneficiário:Marcelo Mitre Filho
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/54113-2 - Domesticação e/ou moralização do capitalismo no governo Lula: inclusão social via mercado e via fundos de pensão, AP.JP
Assunto(s):Sociologia econômica   Mercado financeiro   Bolsa de valores

Resumo

Desde os anos de 1990, o mundo das finanças assumiu um importante papel junto ao mundo da produção, passando a influenciar o ritmo produtivo através da dominação decorrente das regras do capitalismo acionário (Jardim, 2009). Levou-se, assim, a financeirização da produção (Dias e Zilbovicius, 2009), que é, em parte, conseqüência, das pressões que as empresas sofrem para melhorar sua performance financeira e adequar-se as novas regras e exigências do mercado (que por sua vez são pautadas pelas finanças). Portanto, com as transformações nas empresas e nas indústrias - que são submetidas ao controle do mercado de ações, visando adquirir caráter competitivo no mundo dos negócios -, a produção e as empresas são parcialmente submetidas ao poder dos que dominam suas ações, que são colocadas a venda (Maxwell, 2007). Trata-se de uma relação singular, onde as companhias são subordinadas às regras ditadas pelos investidores e acionistas das empresas. Dentre os principais investidores, destacam-se os fundos de investimento de natureza private equity, que assumiram posição estratégica na economia mundial (Mundo Neto e Desidério, 2010), tornando-se possuidores de grande importância no mundo financeiro. Tal importância é revelada, à medida que os fundos permitem que pequenos investidores tenham acesso a melhores condições de mercado e competição de forma igualitária, com grandes investidores (ANBID, 2007). Jardim (2009) pontua a importância dos fundos de pensão no mesmo processo de predomínio das finanças e capitalismo dos acionistas.