Busca avançada
Ano de início
Entree

Fatores abióticos condicionantes da distribuição dè espécies arbóreas Èm quatro formações florestais dò Estado de São Paulo

Processo: 11/20550-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2012
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal - Conservação da Natureza
Pesquisador responsável:Ricardo Ribeiro Rodrigues
Beneficiário:Simone Rodrigues de Magalhães
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:99/09635-0 - Diversidade, dinâmica e conservação de árvores em florestas do estado de São Paulo: estudos em parcelas permanentes, AP.BTA.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):14/00837-0 - Desenvolvimento e distribuição de espécies arbóreas, dos quatro principais tipos de formações florestais do Estado de São paulo,de acordo com características de solo e topográficas, BE.EP.DR
Assunto(s):Regressão linear   Restauração florestal   Semivariograma

Resumo

Este trabalho visa investigar as relações entre fatores abióticos e a distribuição de espécies arbóreas, em trechos dos principais tipos de vegetação florestal do Estado de São Paulo, bem como o avaliar o possível papel dos fatores bióticos e históricos de perturbação nesta distribuição, e aplicar esse conhecimento em restauração ecológica. Para tanto, o estudo será desenvolvido em quatro Unidades de Conservação (UC) (P. E. da Ilha do Cardoso, E.E. de Carlos Botelho, E. E. de Caitetus, E.E. de Assis), cada uma contendo trechos bem preservados de Floresta de Restinga, Floresta Ombrófila Densa de Encosta, Floresta Estacional Semidecídual e Cerradão. Em cada UC esta locada uma parcela de 320 x 320 m (10,24 ha), com 256 subparcelas de 400m2, para as quais foram fornecidas a descrição dos fatores físicos e bióticos, disponíveis num banco de dados relacional. A distribuição da dominância e abundância destas espécies será descrito em cada área individualmente. A dominância absoluta e abundância serão contabilizadas em cada subparcela, a qual será georreferenciada pelas coordenadas centrais. A análise de dados será feita por meio de modelos de efeitos mistos e regressão linear com erros espacialmente correlacionados. A abordagem se baseia no uso de semivariogramas para descrever quantitativamente a estrutura espacial nos padrões residuais da viável resposta após a contabilização dos efeitos das variáveis ambientais. Com esse conhecimento, será possível testar a hipótese que padrões espaciais de dominância e abundância de espécies são determinados por variáveis ambientais explicativas que variam espacialmente. Apesar de se tratarem de formações paulistas, tal estudo se aplica a qualquer condição brasileira, já que estamos acumulando conhecimento sobre dinâmica de florestas (ou seja, de ecologia da restauração) para aplicação em restauração ecológica.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
MAGALHÃES, Simone Rodrigues de. Fatores abióticos condicionantes da distribuição de espécies arbóreas em quatro formações florestais do Estado de São Paulo. 2016. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Piracicaba.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.