Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da permeabilidade dentinária frente a diferentes protocolos clareadores de uso interno

Processo: 11/21172-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2012
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Pesquisador responsável:Linda Wang
Beneficiário:Vanessa Pavoni Cannabrava
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Permeabilidade   Clareamento   Dentística   Peróxido de hidrogênio   Dentina

Resumo

O clareamento dentário é comumente mencionado como um procedimento clínico simples e seguro. Entretanto pode oferecer riscos se mal indicado ou utilizado de forma inadequada. Para dentes despolpados, o risco mais indesejado ocorre dado a difusão do agente clareador à região cervical, desprotegida, estimulando osteoclastos e culminando com reabsorção dentária desta região. Desta forma, a interação entre a natureza da dentina, substrato que de fato é clareado e o agente clareador, é determinante no sucesso do procedimento. A permeabilidade da dentina ao mesmo passo que se torna necessária como via ao agente clareador, é passível de oferecer riscos biológicos. Este trabalho se propõe a avaliar diferentes condições clareadoras frente à permeabilidade dentinária. A hipótese de trabalho é de que o agente clareador associado ou não ao condicionamento ácido prévio e/ou a uma fonte de energia, pode aumentar a permeabilidade dentinária. Dez discos de 1mm de dentina por grupo, obtidos a partir de terceiros molares humanos, serão utilizados, totalizando 50 unidades. Os discos serão planificados, sendo livres de ilhotas de esmalte e de cornos pulpares, conferidos com uso de microscópio óptico. Individualmente, serão montados em câmaras de filtração, permitindo a padronização da exposição de uma área de dimensão padrão de 0,282 mm2. Em uma primeira etapa, todos serão tratados com ácido fosfórico a 35% líquido para seleção de espécimes com permeabilidade similar. Na sequência, serão aleatorizados de acordo com 5 diferentes situações: C- gel inerte (controle negativo), PH- Whiteness HP Maxx-WM/ FGM- peróxido de hidrogênio a 35%, PH-AF- WM precedido de condicionamento com ácido fosfórico por 15s, PH-FE- WM associado à fonte de energia e PH-AF-FE- WM precedido de condicionamento com ácido fosfórico por 15s e associado à fonte de energia. O agente clareador será sempre aplicado por 10 minutos, com agitação intermediária aos 5 minutos. Nos casos associados a fonte de luz, este será realizado após cada 5 minutos, por 30s. A seguir, a permeabilidade será aferida por meio da capilaridade, utilizando o aparelho FLODEC. Os dados serão coletados e analisados de acordo com a distribuição de normalidade. Caso os dados apresentem esta distribuição, serão analisados pelo teste ANOVA, considerando o critérios de tratamento do substrato.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)