Busca avançada
Ano de início
Entree

Expansão da cana-de-açúcar no oeste do estado de São Paulo: efeitos e impactos na agricultura familiar

Processo: 11/22810-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de julho de 2012
Vigência (Término): 30 de junho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Administração - Administração de Setores Específicos
Pesquisador responsável:Wagner Luiz Lourenzani
Beneficiário:Wagner Luiz Lourenzani
Anfitrião: Marcellus Marques Caldas
Instituição-sede: Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Tupã. Tupã , SP, Brasil
Local de pesquisa : Kansas State University, Estados Unidos  
Assunto(s):Agronegócio   Agricultura familiar   Biocombustíveis   Cana-de-açúcar

Resumo

A busca por fontes alternativas de energia mais limpas tem moldado as estratégias de governos em todo o mundo. Dentre as fontes de energias renováveis têm-se aquelas obtidas por meio da biomassa, das quais se destaca o biocombustível. Nos países em desenvolvimento, o melhor exemplo do crescimento do uso de energias renováveis é dado pelo programa brasileiro de etanol de cana-de-açúcar. Apresentando vantagens comparativas em relação a outros biocombustíveis, esse setor passa atualmente por um novo ciclo de expansão, induzido pela crescente demanda mundial por alternativas energéticas e pelo consolidado mercado interno, sustentado pela tecnologia dos carros bicombustíveis. O Brasil é o maior produtor mundial de cana-de-açúcar, sendo São Paulo o maior estado produtor. Tem sido verificado, nos últimos anos, um crescimento vertiginoso na área plantada com cana-de-açúcar na região oeste paulista. Esse processo vem desencadeando transformações concretas no espaço e nas relações sociais no campo. Além da ocupação de áreas destinadas a produção de alimentos, os biocombustíveis suscitam atenção de caráter ambiental. A possibilidade do desencadeamento de um processo de concentração de terra, de êxodo rural e da elevação do preço da terra, tende a impactar a agricultura familiar da região. As alterações na formação territorial paulista, como a região oeste do estado, desencadeiam transformações na configuração do restante do território nacional. Nesse contexto o objetivo principal dessa pesquisa é avaliar a expansão do cultivo da cana-de-açúcar na região oeste do estado de São Paulo, de forma a compreender o processo de conversão das áreas não produtoras em produtoras de cana e, assim, discutir possíveis efeitos em termos de impactos diretos e indiretos desse processo, especificamente na agricultura familiar. Esse objetivo é complexo e requer a utilização de diferentes métodos de análise. Dessa forma, esta pesquisa utilizará, de forma combinada, dois tipos de pesquisa científica: uma pesquisa descritiva (e quantitativa) e outra qualitativa (e exploratória). Ambos os métodos farão o uso de dados primários (entrevistas) e secundários. A pesquisa descritiva utilizará análise estatística e dados gerados através de sistemas de informação geográfica e sensoriamento remoto para a análise de mudança de usos da terra. A pesquisa exploratória analisará as consequências socioeconômicas na região e na agricultura familiar, advindas do referido processo de expansão, sob uma ótica qualitativa. A compreensão dessas transformações e os seus efeitos, possibilitados por uma análise mais aprofundada de uma microrregião, pode servir como um importante instrumento de informações para outras regiões com potencial de expansão da cana-de-açúcar, subsidiando a elaboração e implantação de políticas públicas e privadas. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
WAGNER LUIZ LOURENZANI; MARCELLUS MARQUES CALDAS. Mudanças no uso da terra decorrentes da expansão da cultura da cana-de-açúcar na região oeste do estado de São Paulo. Ciência Rural, v. 44, n. 11, p. -, Nov. 2014.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.