Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação de alvos moleculares associados à resistência aos antitumorais gemcitabina e análogos de rebecamicina usando Saccharomyces Cerevisiae como modelo celular

Processo: 11/04938-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2012
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Bioquímica e Molecular
Pesquisador responsável:Gisele Monteiro
Beneficiário:Lucas de Sousa Cavalcante
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/01303-1 - Caracterização de ORFs de função desconhecida envolvidas na resposta antioxidante em Saccharomyces cerevisiae, AP.JP
Assunto(s):Bioquímica   Leveduras   Neoplasias

Resumo

Gemcitabina e rebecamicina são moléculas que apresentam atividade antitumoral, sendo que a primeira já tem sido usada como agente único no tratamento do câncer de pâncreas, ou em conjunto com outras drogas em vários outros tipos de câncer, enquanto que alguns análogos da segunda já foram utilizados em testes clínicos de fase II em câncer de mama e pulmão. A gemcitabina é um análogo de desoxicitidina que interrompe a síntese de DNA, além de apresentar efeito inibitório indireto sobre várias proteínas, como desoxicitidina monofosfato desaminase, topoisomerase I e ribonucleotídeo redutase. A rebecamicina e vários de seus análogos incluem moléculas intercalantes de DNA, além de inibidores da topoisomerase I. Alguns desses análogos ainda podem inibir a atividade de algumas quinases, como a Chk1, importante para o checkpoint G2/M do ciclo celular. Os mecanismos de resistência a essas drogas são pouco conhecidos e alguns já foram sugeridos; porém, ainda não há consenso sobre as vias celulares envolvidas. A proposta desse projeto é de identificar alvos moleculares associados a essa resistência, além de analisar o balanço redox das células tratadas com esses antitumorais, usando Saccharomyces cerevisiae como modelo. Iniciaremos realizando um screening de uma coleção de mutantes a fim de identificar genes que possam estar envolvidos nas vias moleculares de resistência a gemcitabina e aos análogos de rebecamicina. A partir disso, analisaremos a expressão gênica e a atividade de proteínas-alvo relacionadas a essas respostas. A utilização de leveduras como modelo de célula eucariótica pode ser de grande contribuição para a compreensão de processos complexos como a resistência a drogas, apoptose e ciclo celular, os quais estão diretamente relacionados ao câncer.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CAVALCANTE, LUCAS DE SOUSA; COSTA-SILVA, TALES A.; SOUZA, TIAGO ANTONIO; IENNE, SUSAN; MONTEIRO, GISELE. Chemogenomic study of gemcitabine using Saccharomyces cerevisiae as model cell-molecular insights about chemoresistance. Brazilian Journal of Microbiology, v. 51, n. 2, p. 489-496, JUN 2020. Citações Web of Science: 0.
CAVALCANTE, LUCAS DE SOUSA; MONTEIRO, GISELE. Gemcitabine: Metabolism and molecular mechanisms of action, sensitivity and chemoresistance in pancreatic cancer. European Journal of Pharmacology, v. 741, p. 8-16, OCT 15 2014. Citações Web of Science: 152.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.