Busca avançada
Ano de início
Entree

Estresse oxidativo na leishmaniose visceral canina

Processo: 11/14083-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2012
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Paulo César Ciarlini
Beneficiário:Breno Fernando Martins de Almeida
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária (FMVA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Respiração celular   Peroxidação de lipídeos   Neutrófilos

Resumo

Embora muitos estudos já tenham sido conduzidos avaliando a função neutrofílica no estabelecimento da leishmaniose visceral, escassos são aqueles realizados com a doença já estabelecida em seus diferentes estágios. É possível que alguns sinais clínicos como a anemia hemolítica que ocorre na doença em cães possa estar relacionado com o estresse oxidativo resultante da peroxidação lipídica. O estresse oxidativo ocorre devido a um desbalanço entre a produção de radicais livres, que podem ser provenientes de neutrófilos ativados, e as defesas antioxidantes do organismo. Essas espécies reativas de oxigênio lesionam estruturas celulares fundamentais e causam peroxidação lipídica, que, nas hemácias, pode causar anemia hemolítica. Levando em consideração a escassez de pesquisas avaliando o metabolismo oxidativo e a ausência de trabalhos avaliando a apoptose neutrofílica na leishmaniose visceral canina e, ainda, ausência de pesquisas correlacionando a disfunção neutrofílica com o estresse oxidativo, o presente trabalho tem por objetivo avaliar o estresse oxidativo em cães em diferentes estágios da leishmaniose visceral. Para tal, comparativamente será investigado o metabolismo oxidativo e apoptose de neutrófilos, o status antioxidante total e a peroxidação lipídica de cães saudáveis e cães com leishmaniose visceral em diferentes estágios da doença conforme proposto pelo LeishVet Consensus. O metabolismo oxidativo será avaliado por citometria de fluxo capilar utilizando a sonda hidroetidina e pelo método de redução do tetrazólio nitroazul (NBT). A apoptose será quantificada em citômetro de fluxo capilar utilizando sistema Anexina V-PE e por morfometria. O status antioxidante será determinado em espectrofotômetro pelo método do ABTS e a peroxidação lipídica será determinada pela quantificação do malondialdeído em leitor de placa de ELISA, ambos utilizando reativos comerciais.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ALMEIDA, B. F. M.; NARCISO, L. G.; MELO, L. M.; PREVE, P. P.; BOSCO, A. M.; LIMA, V. M. F.; CIARLINI, P. C. Leishmaniasis causes oxidative stress and alteration of oxidative metabolism and viability of neutrophils in dogs. VETERINARY JOURNAL, v. 198, n. 3, p. 599-605, DEC 2013. Citações Web of Science: 29.
ALMEIDA, B. F. M.; NARCISO, L. G.; BOSCO, A. M.; PEREIRA, P. P.; BRAGA, E. T.; AVANCO, S. V.; MARCONDES, M.; CIARLINI, P. C. Neutrophil dysfunction varies with the stage of canine visceral leishmaniosis. Veterinary Parasitology, v. 196, n. 1-2, p. 6-12, SEP 1 2013. Citações Web of Science: 13.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
ALMEIDA, Breno Fernando Martins de. Estresse oxidativo na leishmaniose visceral canina. 2013. 76 f. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Medicina Veterinária.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.