Busca avançada
Ano de início
Entree

Carcinoma da tiroide na infância:caracterização molecular e investigação da expressão dos genes c1orf24, itm1 e pvalb

Processo: 11/16182-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2012
Vigência (Término): 30 de abril de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Janete Maria Cerutti
Beneficiário:Paloma da Silva Besson
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Endocrinologia   Infância

Resumo

As neoplasias da tiroide são as mais frequentes do sistema endócrino em adultos. Embora sejam raras, as neoplasias da tiroide em crianças representam 1-2% dos tumores pediátricos e, quando comparadas aos adultos, os tumores de infância são geralmente bilaterais, multifocais, apresentam invasão de cápsula e metástases linfonodais ao diagnóstico e 10-20% apresentam metástases à distância. Entretanto, os tumores em crianças apresentam um excelente prognóstico. Nas crianças e adolescentes, o tipo histológico mais freqüente é o carcinoma papilífero (72%), sendo mais prevalentes as variantes esclerosante difusa e folicular. O carcinoma medular da tiroide constitui 5% dos tumores pediátricos e usualmente é associado à forma hereditária caracterizada pela síndrome de neoplasias endócrinas do tipo 2 (MEN 2). Entre os tumores da tiroide em adultos, os carcinomas papilíferos são mais bem caracterizados. Alterações nos genes que codificam proteínas que participam da via RAS/MAPK, tais como rearranjos RET/PTC ou mutações no gene BRAF e RAS ocorrem em aproximadamente 75% dos casos. Entre estes, a presença da mutação em BRAF (p.Val600Glu) é a mais prevalente e tem sido correlacionada com tumores com características mais agressivas, tal como extensão extratiroideana, recorrência do tumor, linfonodos metastáticos e metástases à distância. Além disso, a mutação p.Val600Glu tem sido associada à diminuição da expressão de genes do metabolismo do iodo, como NIS, TG, TPO e TSH-R. O carcinoma folicular tem sido associado à presença do rearranjo envolvendo os genes PAX8-PPARg, além de mutações nos genes da família RAS. Entretanto, estas alterações não permitem o diagnóstico diferencial entre o benigno adenoma folicular e o maligno carcinoma folicular devido a baixa sensibilidade e especificidade. Por outro lado, pouco se sabe sobre os eventos genéticos associados a patogênese dos tumores pediátricos e o nível de expressão dos genes do metabolismo do iodo. A identificação das alterações genéticas e/ou vias de sinalização associadas à gênese dos carcinomas da tiroide em pacientes pediátricos é de extrema importância não só para a compreensão dos mecanismos associados à patogênese, mas também no diagnóstico, tratamento e prognóstico dos tumores da tiroide em crianças. Assim, o presente trabalho tem como objetivo inicial investigar a prevalência de rearranjos RET/PTC em uma série de pacientes pediátricos. Ainda, correlacionar estes resultados com a expressão dos genes NIS, TG, TPO e TSH-R e características clinico-patológicas. Posteriormente, investigaremos a expressão dos genes ITM1, C1orf24 e PVALB, cuja expressão é capaz de distinguir nódulos benignos dos malignos, em adultos, com alta sensibilidade e especificidade.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: