Busca avançada
Ano de início
Entree

Isolamento e identificação de compostos bioativos da geoprópolis (Melipona scutellaris) bioguiado pelo efeito antimicrobiano em biofilme dental

Processo: 11/16501-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2012
Vigência (Término): 30 de junho de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontologia Social e Preventiva
Pesquisador responsável:Pedro Luiz Rosalen
Beneficiário:Laila Facin de Paula Eduardo
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Anti-infecciosos   Produtos naturais   Streptococcus mutans

Resumo

Devido à grande variedade de espécies da flora mundial, os produtos naturais têm sido uma fonte promissora para descoberta de novos compostos bioativos. Dentre eles, a própolis coletada por abelhas da espécie Apis mellifera possui atividades biológicas relevantes descritas na literatura como anticárie, antibacteriana, antioxidante, antiinflamatória, anticâncer e outras. Com relação à ação anticárie, a própolis e seus isolados químicos demonstram forte correlação com a atividade anti-biofilme oral, atuando sobre a viabilidade e virulência dos Estreptococos do grupo mutans. Entretanto, a grande maioria dos estudos sobre própolis se refere a abelhas A. mellifera e pouco se tem conhecimento de outras, como a geoprópolis, produzida por abelhas sem ferrão (Melipona scutellaris). Em estudos recentes, a geoprópolis demonstra uma forte e promissora atividade antimicrobiana e antiinflamatória, porém estas pesquisas ainda não evidenciaram qual(is) a(s) substância(s) responsável(is) por tais ações biológicas, especialmente contra o biofilme oral cariogênico. Portanto, o objetivo desse trabalho é dar continuidade a um estudo anterior da geoprópolis, sob financiamento da FAPESP, com o foco no isolamento e identificação do(s) composto(s) ativo(s) da geoprópolis de M. scutellaris com atividade contra biofilme formado por S. mutans. A fim de se atingir este objetivo, serão executadas as seguintes ações metodológicas: 1- Obtenção da geoprópolis de M. scutellaris e produção do seu extrato etanólico (EEGP) e fracionamento do mesmo com hexano (fração ativa, identificada no estudo anterior); 2- Monitoramento químico e antimicrobiano do EEGP e fração hexânica para confirmação dos achados anteriores; 3- Subfracionamento da fração hexânica em coluna seca e Sephadex LH-20 bioguiado por monitoramento químico e biológico para localização da subfração com melhor atividade anti S. mutans; 4- A partir da subfração ativa, será realizado o isolamento químico dos componentes que compõe esta subfração; 5- O composto isolado bioativo será avaliado por meio de testes de viabilidade microbiana e bioquímica da matriz do biofilme de S. mutans, sendo escolhido como bioativo aquele que apresentar o melhor desempenho antimicrobiano; 6- Após seleção do isolado bioativo, o mesmo será identificado quimicamente (molecular e estrutural) por técnicas analíticas de alta complexidade(RMN e Q-TOF). Dessa maneira, espera-se obter neste estudo a geração de novos conhecimentos subsidiados pelas pesquisas anteriores, a fim de isolar e identificar quimicamente o composto bioativo da geoprópolis contra biofilme de S. mutans e que esta substância (nova ou não) possa ser promissora no desenvolvimento de um fármaco com aplicações odontológicas e médicas, num futuro não muito distante. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DA CUNHA, MARCOS GUILHERME; FRANCHIN, MARCELO; DE PAULA-EDUARDO, LAILA FACIN; FREIRES, IRLAN ALMEIDA; BEUTLER, JOHN A.; DE ALENCAR, SEVERINO MATIAS; IKEGAKI, MASAHARU; MACHADO TABCHOURY, CINTHIA PEREIRA; CUNHA, THIAGO MATTAR; ROSALEN, PEDRO LUIZ. Anti-inflammatory and anti-biofilm properties of ent-nemorosone from Brazilian geopropolis. Journal of Functional Foods, v. 26, p. 27-35, OCT 2016. Citações Web of Science: 2.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.