Busca avançada
Ano de início
Entree

Agricultores familiares em circuitos curtos de comercialização: estudo de oportunidades e de adaptações.

Processo: 11/16833-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2012
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Sociologia - Sociologia Rural
Pesquisador responsável:Paulo Eduardo Moruzzi Marques
Beneficiário:Morgane Isabelle Helene Retiere
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Agricultura familiar   Desenvolvimento rural

Resumo

Os circuitos curtos alimentares vêm sendo considerados, desde os anos 70, como uma parte chave de um novo modelo de desenvolvimento, em oposição às lógicas de intensificação e especialização da agricultura, por uma parte, e de industrialização e globalização na distribuição de alimentos, por outra parte. O conceito de circuito curto designa toda forma de comercialização na qual há, no máximo, um intermediário entre o produtor e o consumidor. Tomando como quadro geral a multifuncionalidade da agricultura, a primeira hipótese deste trabalho é que circuitos curtos alimentares viabilizam a persistência do estabelecimento familiar pelo aumento da renda e pela dinamização dos laços sociais. A segunda hipotese é que o contato mais estreito entre produtores agrícolas (que ocupam o meio rural e zelam pela paisagem e outros bens ambientais não mercantis) e consumidores permite um maior reconhecimento e valorização dos serviços que o primeiro presta à sociedade em geral. A diversificação das atividades no âmbito do estabelecimento agropecuário e a multiplicação dos interlocutores do agricultor ajudam a diminuir o seu isolamento: o isolamento na sociedade, pela imagem desvalorizadora da agricultura, e o isolamento físico, pelo esvaziamento do meio rural e a perda dos tradicionais laços sociais.A partir de entrevistas com agricultores e consumidores em diferentes zonas do Estado de São Paulo, o estudo pretende caracterizar as iniciativas de circuitos curtos de comercialização e mostrar quais são as adaptações ao nível do estabelecimento agrícola para tal arranjo. O foco será aquele das relações tecidas entre produtores e consumidores, afim de evidenciar a maneira em que esta forma de comercialização modifica as práticas e visões de cada um.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
RETIERE, Morgane Isabelle Helene. Agricultores inseridos em circuitos curtos de comercialização: modalidades de venda e adaptações dos sistemas agrícolas. 2014. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Piracicaba.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.