Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise morfodinâmica da praia dò GÓES (Guarujá) com base Èm perfis topográficos, modelos dè transporte costeiro e projeção da linha dè costa

Processo: 11/16914-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2012
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geografia Física
Pesquisador responsável:Celia Regina de Gouveia Souza
Beneficiário:Eduardo Garcia Rosa
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Modelos matemáticos

Resumo

A Praia do Góes, localizada na porção sul da Ilha de Santo Amaro, município do Guarujá (Região Metropolitana da Baixada Santista), é uma praia de enseada circundada por promontórios rochosos e situada em frente ao canal de navegação do Porto de Santos. Este canal está sendo dragado desde março de 2010, para aumentar sua profundidade de 14 m para 15 m e sua largura de 150 m para 220 m. Tal obra, bem como o futuro aumento do tráfego de embarcações, incluindo a mão dupla no canal de navegação, poderão causar mudanças na morfodinâmica da Praia do Góes. Desde o início de 2010 e devido a processos ligados à ocorrência de sucessivas marés meteorológicas, a praia está sofrendo um fenômeno conhecido como rotação praial (inversão do movimento lateral de areia ao longo da praia em resposta a mudanças no clima de ondas incidentes na praia), que causou intensa deposição de sedimentos na sua extremidade leste, antes dominada por erosão costeira. Apesar dos claros benefícios à praia, o processo causou o assoreamento do píer localizado nesse trecho, acarretando dificuldade para a atracação dos barcos e, consequentemente, sérios problemas à comunidade local, que depende muito desse meio de transporte. O presente projeto tem como objetivo acompanhar a evolução do fenômeno de rotação praial, principalmente após o término das obras de dragagem (previsto para novembro de 2011), e compreender melhor a morfodinâmica dessa praia sob a nova morfologia de fundo e hidrodinâmica do canal de navegação. Os estudos pretendem também apontar locais mais adequados para a construção de novo píer, levando em consideração os processos morfodinâmicos, as mudanças climáticas em curso, a elevação atual do nível do mar e as intervenções antrópicas na região. Para tanto, serão monitorados mensalmente e por um período de 1 ano hidrológico, seis perfis topográficos perpendiculares à linha de costa (os mesmos já monitorados), e realizadas medições semanais do clima de ondas naturais e induzidas por embarcações. Os resultados serão aplicados a modelos computacionais de transporte transversal e longitudinal de sedimentos, bem como modelos de projeção de linha de costa (Modelo de Equilíbrio em Planta de Praias de Enseada). Também, serão feitos estudos estratigráficos, incluindo datações de sedimentos, visando à identificação de registros antigos da rotação praial.