Busca avançada
Ano de início
Entree

As relações científicas germano-brasileiras no contexto da medicina paulista (1919-1950)

Processo: 11/51984-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2012
Vigência (Término): 11 de dezembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História das Ciências
Pesquisador responsável:Maria Amelia Mascarenhas Dantes
Beneficiário:André Felipe Cândido da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Diplomacia cultural

Resumo

O presente projeto propõe o estudo das relações médico-científicas entre Brasil e Alemanha no período que se estende de 1919 a 1950, e seu impacto na trajetória e agendas científicas de personagens e instituições de São Paulo. O objetivo é demonstrar os interesses e objetivos dos diferentes atores que participaram desse intercâmbio, as disciplinas e problemáticas científicas que se sobressaíram nesse contexto e o grau de articulação dos cientistas com os círculos diplomáticos e com grupos econômicos, sobretudo com a indústria farmacêutica e de insumos médicos. Com base em amplo conjunto de fontes já coletadas em arquivos alemães e a serem consultadas em arquivos e bibliotecas de São Paulo, bem como na historiografia sobre as instituições paulistas de pesquisa, pretende-se aprofundar a trajetória de alguns pesquisadores que mantiveram estreita relação com a Alemanha, como o professor da Faculdade de Medicina de São Paulo, Adolfo Lindenberg, o microbiologista Martin Ficker, que por mais de 25 anos dirigiu na capital paulista uma estação de microbiologia vinculada à Sociedade Kaiser-Wiihelm, e o patologista Walter Büngeler, que entre 1936 e 1942 ocupou a cátedra de anatomia patológica da Escola Paulista de Medicina e fomentou as relações do Brasil com a Alemanha nazista. O interesse é analisar como a circulação entre os dois países, de pessoas, idéias, projetos, modelos institucionais, publicações e objetos impactaram nas problemáticas científicas locais e contribuíram para a legitimação de carreiras e para a realização da diplomacia cultural germânica. Ademais, cabe avaliar a influência das dinâmicas sociais da colônia alemã paulista sobre esse intercâmbio e as acomodações, tensões e dilemas que envolveram as negociações para que ele se efetivasse. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre a bolsa::
Diplomatas no laboratório