Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da suplementação hormonal com progestágenos no desenvolvimento da resposta imune do potro neonato

Processo: 11/23120-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2012
Vigência (Término): 31 de março de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Claudio Alvarenga de Oliveira
Beneficiário:Ana Carolina Rusca Correa Porto
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Potros   Resposta imune   Endocrinologia

Resumo

Potros neonatos são particularmente suscetíveis a infecções bacterianas, como a rodococose, devido a deficiências no sistema imune neonatal. Porém o mecanismo que leva a essa deficiência continua pouco entendido. No ambiente materno-fetal são produzidas citocinas que influenciam o sistema imune do feto e posteriormente do neonato, resultando em uma regulação para um padrão de resposta imune do tipo Th2, resposta associada a um aumento da suscetibilidade a infecções por microorganismos intracelulares. Como o feto é exposto a grandes concentrações de progesterona durante a gestação acredita-se que tal hormônio seja, em parte, responsável pela regulação do padrão de resposta imune do feto. O uso de suplementação hormonal em éguas tem se tornado rotina em haras e centrais de reprodução equina, mesmo que não se saiba quais as implicações do uso de tais formulações na saúde e no sistema imunitário do potro. O objetivo desse trabalho é avaliar se a suplementação hormonal de éguas prenhes com progestágenos altera a concentração sérica de hormônios esteróides no último trimestre da gestação e interfere na capacidade de desenvolvimento da resposta imune do potro após o nascimento.