Busca avançada
Ano de início
Entree

Comparação do padrão anatômico do caule nos hábitos lianescente, arbóreo e arbustivo em Bignoniaceae

Processo: 12/01098-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2012
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Morfologia Vegetal
Pesquisador responsável:Veronica Angyalossy
Beneficiário:Caian Souza Gerolamo
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Caule   Anatomia comparada   Bignoniaceae

Resumo

As comunidades vegetais são, em geral, constituídas de espécies que apresentam diferentes hábitos: lianescente, arbóreo, arbustivo e herbáceo. Muitas famílias apresentam, dentre os seus representantes, espécies de diferentes hábitos. É a formação da estrutura anatômica de cada hábito que confere suas propriedades mecânicas de auto-suporte, flexibilidade, torção, condução e regeneração. Lianas, diferente de muitas árvores e arbustos, costumam apresentar variações cambiais, tubo crivados e vasos de maior diâmetro, maior abundância de parênquima e menor quantidade de fibras. Neste trabalho, pretende-se realizar uma análise comparada dos caules de espécies de Bignoniaceae dos diferentes hábitos: lianescente, arbóreo e arbustivo. Em Bignoniaceae, os hábitos lianescente e mais raramente arbustivo são bem representados dentro da tribo Bignonieae, mas também estão presentes na tribo Tecomeae, assim como o hábito arbóreo. Para tal serão coletadas onze espécies, abrangendo os hábitos lianescente, arbóreo e arbustivo, de duas tribos da família: Bignonieae e Tecomeae. Os procedimentos anatômicos serão aqueles tradicionalmente utilizados em anatomia vegetal, consistindo de preparo de secções transversais, longitudinais, tangencial e radial, abrangendo periderme, floema secundário, câmbio e xilema secundário. Serão realizadas análises qualitativas e quantitativas dos tecidos condutores. Com a análise da estrutura anatômica de cada hábito esperamos encontrar diferenças e semelhanças na forma, arranjo, quantidade e componentes anatômicos entre os três hábitos em estudo, algo ainda pouco explorado dentro da família e em plantas como um todo.