Busca avançada
Ano de início
Entree

Prevalência, caracterização genotípica e determinação da dinâmica de excreção do poliomavirus humano BK em amostras de urina de indivíduos saudáveis

Processo: 12/01825-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de março de 2012
Vigência (Término): 30 de novembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Maria Cristina Domingues da Silva Fink
Beneficiário:Letícia Fabel de Lima
Instituição-sede: Instituto de Medicina Tropical de São Paulo (IMT). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:10/51671-4 - Prevalencia, caracterizacao genotipica e determinacao da dinamica de excrecao do poliomavirus humano bk em amostras de urina de individuos saudaveis., AP.R
Assunto(s):Urina   Virologia   Excreção

Resumo

A associação entre os poliomavirus humanos e a ocorrência de doenças está muito bem caracterizada, especialmente com relação ao vírus BK (BKV). No entanto, existem poucos dados sobre a circulação desses vírus entre indivíduos imunocompetentes.O objetivo principal deste estudo é determinar a prevalência, a dinâmica de excreção e os genótipos do BKV excretados em amostras de urina de indivíduos imunocompetentes. A presença de DNA de poliomavirus nas amostras de urina será investigada através da reação em cadeia por polimerase (PCR), utilizando-se oligonucleotídeos complementares a região genômica precoce, altamente conservada (antígeno T grande) dos poliomavírus. As amostras que apresentarem positividade serão submetidas a genotipagem através de uma nova reação de PCR empregando primers complementares à região VP1 do capsídeo do BKV, com posterior seqüenciamento da região amplificada. Para a realização desse estudo serão coletadas amostras seriadas de urina de 71 indivíduos de ambos os sexos, com faixas etárias entre 18 e 65 anos.Não existem, até o momento, informações disponíveis sobre a prevalência, excreção nem tampouco o perfil genotípico do BKV em indivíduos imunocompetentes na população brasileira. Esses dados poderão ser de grande importância em determinadas populações, como por exemplo, os doadores e receptores de transplante renal.