Busca avançada
Ano de início
Entree

Determinação da termotolerância em ovinos por análise da proteína HSP70

Processo: 12/01786-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de março de 2012
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Ecologia dos Animais Domésticos e Etologia
Pesquisador responsável:Cristiane Gonçalves Titto
Beneficiário:Julia Antongiovanni Joselevitch
Instituição-sede: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/14949-7 - Capacidade termolítica, reatividade ao manejo e uso de sombra à pasto em ovinos, AP.R
Assunto(s):Bioclimatologia   Efeitos do calor   Efeitos da temperatura   Temperatura animal   Hidrocortisona   Ovinos

Resumo

Este experimento possui como objetivo geral avaliar a capacidade termolítica em ovinos de raça de corte. O trabalho será realizado no setor de Ovinocultura do Campus Administrativo de Pirassununga, da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos, situada na cidade de Pirassununga, SP, e utilizará 60 fêmeas ovinas da raça Santa Inês prenhas de White Dorper. Será realizado um teste de capacidade termolítica durante o verão em três dias não consecutivos, com colheita de sangue às 13h (T0), após duas horas de descanso à sombra, às 14h (T2), após uma hora de exposição à radiação solar direta e após meia hora de descanso à sombra (14:30h; T3). Ao 12º dia após a primeira colheita serão realizadas novas colheitas de sangue, com uma amostra por animal, para determinar a queda na concentração da HSP70. Juntamente com a colheita de sangue serão realizados registros das temperaturas retais, superficiais e taxas de sudação e frequências respiratórias, e no sangue colhido serão analisadas as concentrações plasmáticas de cortisol e de HSP70 (Heat shock protein 70). O teste será realizado logo após a parição e após o desmame das crias. As análises serão realizadas utilizando-se os procedimentos UNIVARIATE, CORR, GLM e MIXED (SAS). Poderão ser selecionados ovinos mais tolerantes ao calor pela quantificação de HSP70 e sua relação com cortisol e medidas fisiológicas ligadas ao estresse calórico. (AU)