Busca avançada
Ano de início
Entree

Padronização do protocolo HPRT em células XP-V expostas à luz uva

Processo: 12/02591-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de abril de 2012
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Mutagênese
Pesquisador responsável:Carlos Frederico Martins Menck
Beneficiário:Natália Cestari Moreno
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/52417-7 - Respostas celulares a lesões no genoma, AP.TEM
Assunto(s):Reparo do DNA   Mutação

Resumo

Padronização do protocolo HPRT em células XP-V expostas à luz UVA Coordenador: Dr. Carlos Frederico Martins MenckCandidata: Natália Cestari MorenoResumo do Plano de AtividadesA molécula de DNA está sujeita a sofrer agressões, que podem originar lesões na molécula, interferindo em processos importantes para a célula como a replicação do DNA e a transcrição do RNA, podendo resultar em mutação ou morte celular. Como as mutações são consideradas causas primárias na formação de tumores, a avaliação de mutações induzidas por luz ultravioleta (UV) é de grande importância, em vista da exposição humana à luz solar. Mutações no genoma podem desencadear uma série de doenças, dentre elas destacamos uma síndrome rara e hereditária, conhecida como Xeroderma Pigmentosum (XP), que se caracteriza por mutações em sete genes que codificam as proteínas (XP-A a G) que participam do Reparo por Excisão de Nucleotídeo (NER - "Nucleotide Excision Repair") e um grupo variante (XP-V) que codifica para uma DNA polimerase de síntese translesão. Uma das técnicas disponíveis para avaliar a indução de mutações após exposição à luz UV é através da estimativa da frequência de mutação no gene que codifica para a hipoxantina guanina fosforibosil transferase (HPRT), localizado no cromossomo X. Esta metodologia é bastante interessante porque pode fornecer respostas de células humanas a lesões, permitindo a determinação da ação mutagênica. A proposta deste projeto é verificar se a luz UVA (315-400 nm) pode induzir mutações no genoma de células provenientes de pacientes XP-V através da padronização do protocolo HPRT no Laboratório de Reparo de DNA. O emprego desta técnica ampliará as formas de abordagem no laboratório no sentido de obter respostas sobre lesões em células humanas com deficiências em processos de reparo, permitindo avaliar a ação mutagênica da luz UVA. Além da padronização do protocolo para análise de mutagênese, este projeto tem como objetivo, observar o efeito da luz UVA na sobrevivência dessas células, comparando-as, com relação a sensibilidade, com células controles.