Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterizações físicas e mecânicas de chapas de vedação, com a adição do bagaço da cana-de-açúcar

Processo: 11/23672-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2012
Vigência (Término): 31 de março de 2013
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Tecnologia de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Rosane Aparecida Gomes Battistelle
Beneficiário:Aline de Lima Zuim
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia (FE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Bauru. Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Chapa de partículas   Bagaço de cana-de-açúcar   Resíduos sólidos   Bambu   Aproveitamento de subprodutos   Uso de resíduos sólidos

Resumo

Com o advento do capitalismo e da industrialização, o volume de resíduos gerados nos diferentes processos de fabricação aumentou consideravelmente, levando a comunidade acadêmica a inserir em seus projetos de pesquisas, focados em sustentabilidade com as variáveis interligadas aos resíduos e seu respectivo impacto ambiental, tendo em vista as diferentes possibilidades de reutilização. Dentro deste contexto, a finalidade desta pesquisa é a fabricação de um produto com características inovadoras e, paralelamente, efetuar sua avaliação física e mecânica. O referido produto é composto por resíduos do bagaço da cana-de-açúcar (Saccharum officinarum) reforçados com as folhas caulinares trituradas do bambu da espécie Dendrocalamus giganteus. A escolha do bagaço da cana como objeto de pesquisa tem como meta utilizar-se de um dos rejeitos mais abundantes no Brasil, partindo do fato deste país ser o maior produtor mundial de cana-de-açúcar, com uma quantidade estimada em 416.256 mil toneladas anuais. Produzir-se-ão chapas de partículas homogêneas em cinco diferentes traços - 100%, 75%, 50%, 25% e 0% - de bagaço da cana, devidamente tratado, em relação à massa total dos compósitos, completadas com as folhas do bambu trituradas. Tais chapas serão avaliadas por meio de ensaios preconizados na norma NBR 14.810-3 - Chapas de madeira aglomerada - Parte 3: Métodos de Ensaio (2002), em relação à massa específica, inchamento em espessura, teor de umidade, adesão interna, resistência à flexão estática, à tração e ao arrancamento de parafusos, objetivando assim escolher o melhor traço para posterior aplicação em chapas voltadas para construção civil e, eventualmente, para a indústria moveleira. (AU)