Busca avançada
Ano de início
Entree

ABI3 e ABI3BP, caracterização das interações in vitro e investigação da via de sinalização

Processo: 12/01346-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de junho de 2012
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Janete Maria Cerutti
Beneficiário:Lais Moraes de Godoy
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Genética do câncer   Análise serial da expressão gênica (SAGE)   Neoplasias da glândula tireoide   Adenoma   Carcinoma papilar, variante folicular

Resumo

A análise das bibliotecas de SAGE (Serial Analysis of Gene Expression) realizadas a partir de Adenoma Folicular da Tiróide (AFT), Carcinoma Folicular da Tiróide (CFT) e tecido normal, identificou mais de 300 transcritos diferencialmente expressos (P<0.001). Entre estes, o gene ABI3BP, que apresentava expressão nas bibliotecas de tecido normal e AFT, não havendo expressão na biblioteca de CFT. Esse gene foi inicialmente descrito por sistema de duplo hidrido pela sua possível interação protéica com ABI3 pelo domínio SH3. Sendo assim, investigamos a expressão de ABI3 e ABI3BP em lesões malignas e benignas de tiroide e vimos que, além de sua perda de expressão não ser restrita ao CFT, mas ocorrer também nas outras lesões malignas, os níveis de expressão de ABI3 e ABI3BP se correlacionam positivamente nessas lesões. Além disso, realizamos estudos in vitro e in vivo que demonstraram que a reexpressão desses genes está envolvida com processos de crescimento, invasividade, viabilidade e senescência celular. Por fim, dados preliminares que avaliaram a expressão de ABI3 e ABI3BP em linhagens celulares derivadas de carcinoma folicular da tiroide (WRO e FTC 133) e metástase aos linfonodos (FTC 236) ou pulmão (FTC 238) sugerem que ABI3 e ABI3BP podem ter um papel diferente e, portanto modular vias de sinalização diferentes, no tumor primário e metástase. Assim, objetivamos nesse projeto investigar as interações e a localização celular de ABI3 e ABI3BP, verificar se modificações pós-traducionais podem interferir na função destas proteínas e investigar vias de sinalização potencialmente moduladas por elas no tumor primário e metástase. Para isso, ABI3 e ABI3BP serão clonadas em vetor de expressão e transfectados nas linhagens, WRO, FTC 133, FTC236 e FTC 238. Clones com expressão permanente das proteínas ABI3 ou ABI3BP serão utilizados em ensaios in vitro e in vivo. Acreditamos que os dados gerados permitirão esclarecer os papeis de ABI3 e ABI3BP na patogênese e progressão dos tumores da tiroide. (AU)