Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliacao dos patogenos virais nas rinossinusites de pacientes com imunodeficiencia comum variavel (icv)

Processo: 12/04950-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de abril de 2012
Vigência (Término): 31 de outubro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Dewton de Moraes Vasconcelos
Beneficiário:Camilla Machado
Instituição-sede: Instituto de Medicina Tropical de São Paulo (IMT). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/50064-0 - Avaliação dos patógenos virais nas rinossinusites de pacientes com Imunodeficiência Comum Variável (ICV), AP.R
Assunto(s):Imunologia clínica   Imunodeficiências primárias   Infecções respiratórias   Sinusite

Resumo

As imunodeficiências primárias são síndromes raras que se caracterizam por déficits da imunidade e conseqüentemente infecções recorrentes. A imunodeficiência comum variável (ICV) é uma imunodeficiência primária de origem heterogênea, definida como uma diminuição de pelo menos dois isótipos de imunoglobulinas abaixo de dois desvios-padrão da referência para a idade, a falta de resposta anticórpica a imunizações e a exclusão de outras causas primárias de hipogamaglobulinemia. A ausência de níveis adequados de anticorpos em pacientes com ICV resulta em infecções bacterianas e virais recorrentes. A rinossinusite é definida como uma condição resultante de um processo inflamatório da mucosa que reveste a cavidade nasal e os seios paranasais. Sua causa mais comum em todas as faixas etárias é a infecção viral de vias aéreas superiores provocando o edema ou inflamação da mucosa nasal e a secreção de muco mais espesso, que obstrui os óstios de drenagem dos seios paranasais. Infelizmente, existem poucos relatos sobre os aspectos bacteriológicos e virais das rinossinusites em pacientes com ICV. Porém, alguns poucos estudos em indivíduos imunocompetentes (que não ICV) demonstraram que as infecções virais continuam sendo a principal causa de infecção de vias aéreas superiores, incluindo as rinossinusites agudas por rinovírus, influenza vírus, adenovírus e parainfluenza vírus, que se constituem na causa mais comum das rinossinusites. Nesse contexto, onde o papel e a importância da infecção viral na patogenia das rinossinusites ainda vem sendo esclarecida, não há relato consistente na literatura sobre o estudo dos agentes virais nas rinossinusites em pacientes com ICV, sendo a identificação destes agentes de grande importância para melhor compreensão da patogenia em questão.