Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da frequência das mutações EGFR, KRAS e EML4-ALK em adenocarcinomas e seus subtipos e impacto da expressão das hialuronidases e sintases do ácido hialurônico nas lesões pré neopl..

Processo: 11/51956-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2012
Vigência (Término): 30 de setembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Vera Luiza Capelozzi
Beneficiário:Vanessa Karen de Sá
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):14/00826-9 - Importância do ácido hialurônico e do CD44 na metástase, BE.EP.PD
Assunto(s):Lesões pré-cancerosas

Resumo

Adenocarcinomas representam o subtipo histológico mais comum, na maioria dos Países, contribuindo a quase metade de casos de câncer de pulmão. Como enormes fontes vêm sendo despendidas em ensaios envolvendo aspectos terapêuticos em adenocarcinomas, há necessidade de desenvolver critérios padrões, para melhorar conduta, terapia e prognostico dos pacientes. Mudanças importantes começam a ocorrer no tratamento da doença metastática, sobretudo no que tange às alterações moleculares específicas, como por exemplo, a mutação de EGFR, KRAS, e a translocação EML4-ALK. Exemplo que inclui este tipo de avanço advem da utilização de inibidores orais de tirosina quinase de EGFR, como erlotinibe e gefitinibe. Em 1999 e 2004, a WHO reconheceu a hiperplasia adenomatosa atípica (AAH) como uma lesão pré-ínvasiva para o adenocarcinoma de pulmão, visto que essas lesões são achados incidentais no parênquima pulmonar adjacente em de 5 a 23% dos adenocarcinomas de pulmão ressecados. O reconhecimento precoce das lesões pré-neoplásicas em indivíduos de risco, poderia coibir a transformação neoplásica e sobretudo as metástases. Alterações quantitativas e qualitativas nas Hialuronidases (Hyal) e Sintases do Ácido Hialurônico (HAS), podem causar a degradação da matriz extracelular e promover crescimento e invasão tumoral. No presente projeto, pretendemos continuar nossa linha de pesquisa, avaliando por imunohistoquimica as HyaH e 3 e as HAS 1, 2 e 3 nas lesões pré-neoplasias pulmonares e aproveitar a casuística que já possuímos para avaliar a freqüência de mutação dos marcadores EGFR e KRAS por PCR e EML4-ALK por FISH, em três centros de referencias no País. O conhecimento da freqüência de mutação do EGFR, KRAS e fusão EML4-ALK e do perfil genético dos pacientes em três grandes centros de referências poderá ser expandido para o resto do País, permitindo uma terapêutica personalizada direcionada a nossas variações regionais. (AU)