Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do efeito do estresse crônico sobre a função cardiovascular em ratos adolescentes e adultos

Processo: 12/01888-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2012
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Carlos Cesar Crestani
Beneficiário:Josiane de Oliveira Duarte
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Barorreflexo   Estresse crônico   Estresse psicológico   Estresse por restrição   Sistema nervoso autônomo   Neurofarmacologia   Sistema cardiovascular

Resumo

Estudos em humanos e animais têm fornecido evidências que correlacionam fatores psicossociais, como a exposição ao estresse e transtornos psiquiátricos, com a patogênese de diversas patologias cardiovasculares. Apesar da relevância do tema, os mecanismos envolvidos com os problemas cardiovasculares associados ao estresse ainda são pouco compreendidos. Em animais tem sido utilizado protocolos de estresse crônico psicológico que envolvem a exposição diária ao mesmo estressor ou a diferente tipos de estressores. Apesar de estudos demonstrarem que estes dois protocolos de estresse causam efeitos diferentes sobre o comportamento e a atividade neuroendócrina, nenhum estudo comparou de maneira direta suas consequências sobre a função cardiovascular. A ontogenia é outro fator que pode influenciar as respostas comportamentais e fisiológicas ao estresse. Neste sentido, estudos pré-clínicos sugerem que ratos adolescentes são mais vulneráveis às consequências negativas do estresse. No entanto, informações acerca dos efeitos do estresse crônico sobre a função cardiovascular em animais adolescentes são escassas. Além disso, as conseqüências a longo prazo da exposição a estímulos aversivos durante a adolescência são pouco compreendidos. Os mecanismos fisiopatológicos envolvidos nas complicações cardiovasculares associadas ao estresse também não estão claramente elucidados. Estudos têm sugerido que redução na atividade do barorreflexo pode ser um mecanismo importante relacionado com a hipertensão, além de ser um fator de risco para o desenvolvimento de arritmias cardíacas. No entanto, existem poucas informações do efeito do estresse crônico sobre a atividade do barorreflexo. Apesar de alguns estudos in vitro relatarem comprometimento na reatividade vascular a agentes vasoativos após exposição ao estresse crônico, não existem estudos in vivo relatando o efeito do estresse crônico sobre a reatividade vascular. Comprometimento na resposta vascular a agentes vasodilatadores e vasoconstritores tem sido proposto como um dos mecanismos fisiopatológicos da hipertensão. Por fim, foi relatado que ratos expostos ao protocolo de estresse crônico variável apresentaram taquicardia de repouso e aumento no tônus simpático cardíaco. Tem sido sugerido que estas alterações cardíacas são fatores de risco para o surgimento de patologias cardiovasculares. Diante disso, o presente estudo tem os seguintes objetivos: 1) comparar, em ratos adultos, o efeito da exposição ao estresse crônico variável ou por restrição sobre a função cardiovascular; 2) comparar, em ratos adolescentes, o efeito da exposição ao estresse crônico variável ou por restrição sobre a função cardiovascular; além de investigar se as alterações induzidas pelo estresse são duradouras e persistem até a fase adulta; e 3) investigar o efeito do estresse crônico variável ou por restrição sobre a função cardiovascular em animais adultos que foram expostos ao estresse crônico durante a adolescência. Como medidas funcionais, avaliaremos em todos os protocolos experimentais os efeitos da exposição ao estresse crônico sobre os parâmetros basais de pressão arterial, frequência cardíaca, corticosterona plasmática; a atividade do barorreflexo; a reatividade vascular a agentes vasoconstritores e vasodilatadores; e o balanço autônomo cardíaco. Além disso, serão realizadas medidas somáticas de peso do coração, dos rins, das adrenais e do timo. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DUARTE, JOSIANE O.; GOMES, KARINA S.; NUNES-DE-SOUZA, RICARDO L.; CRESTANI, CARLOS C. Role of the lateral preoptic area in cardiovascular and neuroendocrine responses to acute restraint stress in rats. Physiology & Behavior, v. 175, p. 16-21, JUN 1 2017. Citações Web of Science: 4.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.