Busca avançada
Ano de início
Entree

Diversidade de Leguminosae na restinga e nos tabuleiros de Pirambu, Sergipe, Brasil

Processo: 12/03293-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2012
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Taxonomia Vegetal
Pesquisador responsável:Ana Maria Goulart de Azevedo Tozzi
Beneficiário:Tamires Carregosa da Silva
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Florística   Botânica (classificação)   Leguminosae

Resumo

Entre as diversas comunidades vegetais que constituem o complexo vegetacional da Floresta Atlântica, merecem destaque a vegetação de Restinga, que se desenvolve sobre planícies arenosas costeiras, e os tabuleiros arenosos, encontrados em manchas de solos arenosos, sobre baixos platôs nas adjacências das planícies costeiras. No entanto, a completa distinção dessas áreas é dificultada pela proximidade dessas regiões e pelo solo arenoso característico. Esses ambientes apresentam uma riqueza florística expressiva, com espécies que podem ocorrer em ambas às comunidades, mas é possível a ocorrência de zonas nas quais a vegetação se modifica abruptamente. No presente trabalho buscaremos analisar as similaridades florísticas entre as áreas de Restinga e as de Tabuleiro no município de Pirambu, Sergipe, através da composição florística de Leguminosae e de dados de distribuição. Serão realizadas coletas mensais em 2012 e 2013. Os espécimes coletados serão herborizados e incorporados aos acervos dos herbários UEC (Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP) e ASE (Universidade Federal de Sergipe - UFS). Serão elaboradas descrições dos táxons e uma chave para a identificação com base em caracteres morfológicos de espécimes herborizados. Para análise da similaridade florística entre as áreas de Restinga e Tabuleiro será utilizada uma matriz de presença e ausência para a ocorrência das espécies coletadas. As análises multivariadas serão realizadas com a utilização do programa Fitopac 1.6. como também serão comparados esses dados com demais estudos florísticos realizados no litoral brasileiro. Utilizar a riqueza de Leguminosae como ferramenta para se conhecer as similaridades entre essas formações vegetacionais pode fornecer informações relevantes que possibilitem subsidiar discussões relacionadas ao conhecimento das formações vegetacionais de Tabuleiro e Restinga, à conservação desses ambientes, além de contribuir para o enriquecimento das informações referentes à flora de Sergipe. (AU)