Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da exposição intra-uterina e puberal a desreguladores endócrinos sobre a próstata de gerbilos senis

Processo: 12/07333-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de junho de 2012
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Sebastião Roberto Taboga
Beneficiário:Cássia Regina Suzuki Caires
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/06335-9 - Efeitos da exposição intra-uterina e puberal a desreguladores endócrinos sobre a próstata de Gerbilos senis, AP.R
Assunto(s):Imuno-histoquímica   Reprodução   Desreguladores endócrinos   Próstata

Resumo

A próstata não é uma glândula pertencente exclusivamente aos machos de mamíferos, podendo ser encontrada em fêmeas de diversos roedores e também em mulheres. O seu desenvolvimento ocorre sob influência de um controle androgênico e estrogênico muito bem regulado e preciso, de forma que sensíveis interferências podem predispor esta glândula a desenvolver doenças como hiperplasia prostática benigna e câncer durante a vida senil. Aliado a isso, um grande número de estudos tem indicado que a predisposição às desordens prostáticas tem sua origem nos momentos iniciais da vida, sendo as vias de sinalização do AR e do ER as mais sensíveis aos desbalanços hormonais. Estes aspectos são de grande interesse e preocupação, tendo em vista que é cada vez maior o número de químicos de disrupção endócrina (CDEs) aos quais os seres humanos estão expostos. Os CDEs têm o potencial de competir pelos receptores androgênicos presentes no tecido prostático, podendo ativar cascatas de eventos que levam a expressão de genes específicos ou mesmo causar alterações epigenéticas no DNA. Estas interferências, mais nocivas em períodos críticos do desenvolvimento, podem levar ao imprint das células prostáticas de forma irreversível. Portanto, entender quais são os mecanismos que podem favorecer a predisposição desta glândula a desenvolver lesões ao longo da vida é de extrema relevância, de forma que tais descobertas podem contribuir na busca de novos tratamentos para as doenças prostáticas. Assim, o objetivo deste trabalho é avaliar a próstata de fêmeas e machos senis do gerbilo da Mongólia que foram expostos à testosterona e ao etinilestradiol na vida intra-uterina e na puberdade. Para isto, as próstatas destes animais serão submetidas a análises morfométrico-estereológicas, sorológicas, imunohistoquímicas e ultra-estruturais. A partir dos resultados obtidos, possíveis mecanismos envolvidos com o imprint da glândula prostática poderão ser elucidados, tornando possível o entendimento destes mecanismos com o surgimento de doenças prostáticas durante a senescência.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.