Busca avançada
Ano de início
Entree

Teônimos, epicleses e epítetos divinos na Grécia Antiga: fraseologia e legado indo-europeu

Processo: 12/02674-6
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de setembro de 2012
Vigência (Término): 30 de junho de 2013
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras - Literaturas Clássicas
Pesquisador responsável:José Marcos Mariani de Macedo
Beneficiário:José Marcos Mariani de Macedo
Anfitrião: José Luis García Ramón
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa: University of Cologne (UoC), Alemanha  
Assunto(s):Literatura grega   Fraseologia   Mitologia grega   Deuses gregos   Grécia Antiga

Resumo

Uma questão fundamental que se apresenta a todo devoto politeísta na Grécia antiga é a de identificar o deus de que se fala ou a quem se dirige. Por vezes a divindade é referida como uma coletividade anônima ("os deuses"), outras vezes é designada simplesmente pelo nome, mas em preces e juramentos, ou quando se trata de atos culto, a divindade é interpelada em geral sob um epíteto específico. Tais epítetos vinculam uma certa função a um certo deus e servem tanto para identificar quanto para louvar a divindade em apreço. Diversos aspectos da personalidade divina refletem-se em seus inúmeros epítetos e atributos, sejam eles compreensíveis a partir do próprio grego ou reconstruídos pela comparação linguística. Sejam de origem literária ou epigráfica, epítetos e epicleses não raro deixam transparecer uma imagem divina muito antiga, que remonta a representações religiosas de épocas anteriores ou mesmo ao período indo-europeu comum. O objetivo desse projeto é fornecer uma descrição pormenorizada de epítetos e atributos divinos de origem ritual e literária na Grécia antiga, sob três aspectos: linguístico, filológico e histórico-literário. Pretende-se estudar a onomástica religiosa a partir de quatro pontos de vista: 1) epítetos na tragédia e comédia gregas; 2) epítetos epigráficos e literários à luz de (a) epicleses vinculadas a dois ou mais deuses, (b) epicleses com tendência a aparecer desacompanhadas do teônimo e (c) epítetos a meio caminho entre epiclese e teônimo; 3) epicleses na epigrafia dialetal do "grego do noroeste" (Fócida, Lócrida, Élida, Épiro), com especial destaque para o material de Olímpia e Delfos; 4) epítetos e epicleses na lírica coral e lírica monódica dórica (Álcman, Estesícoro, Íbico, Píndaro e Baquílides). (AU)