Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do modelo animal espontâneo de polimiopatia hipocalêmica na espécie Felis catus comparada à paralisia tirotóxica em humanos: clonagem e pesquisa de mutações em gene ortólogo ao KCNJ18

Processo: 12/02529-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de julho de 2012
Vigência (Término): 31 de maio de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Pesquisador responsável:Magnus Régios Dias da Silva
Beneficiário:Marlyn Zapata Montoya
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Endocrinologia   Gatos

Resumo

A Paralisia Periódica Tirotóxica (PPT) é uma condição clínica que se caracteriza por crises reversíveis de fraqueza muscular associadas à tirotoxicose e hipocalemia. É a causa mais freqüente de paralisia flácida aguda adquirida homens jovens, sendo mais prevalente entre homens asiáticos e latinos. Hoje sabemos que a PPT é a mais nova forma de canalopatia endócrina a fazer parte do grande grupo de paralisias periódicas. Acreditamos que a susceptibilidade à PPT em humanos seja multigênica (heterogeneidade genética) na qual apenas uma parcela dos pacientes tirotóxicos com mutação desenvolveria crise. Em estudo colaborativo internacional identificamos um novo gene parálogo do tipo Kir o qual foi nomeado KCNJ18 (canal Kir2.6), no qual identificamos quatro diferentes mutações. Entendemos que o quadro clínico da PPT no homem se assemelha aos casos de polimiopatia hipocalêmica em gatos. Nesse sentido, há 7 meses nosso grupo começou a estudar os aspectos moleculares que torna o gato hipertiroideo também susceptível à crise de paralisia, abordando a possível etiologia molecular semelhante, epidemiologia, quadro clínico e diagnóstico, fisiopatologia e tratamento. Para compreender o modelo animal espontâneo de miopatia hipocalêmica que ocorre em gatos, propomos clonar o ortólogo desse gene em felinos e pesquisar por mutações associadas à PPT, assim como triaremos outros genes ortólogos da família Kir2.x. Juntamente com a endocrinologia veterinária estudaremos a ocorrência clínica de hipocalemia e paralisia flácida em felinos hipertiroideos. A partir do modelo animal em felinos aqui proposto, ambicionamos clonar o canal Kir2.6 ortólogo e verificar se o padrão de herança entre gatos hipertiroideos susceptíveis à paralisia muscular e ventroflexão do pescoço se assemelha à PPT no homem adulto. Depois de identificados os genes e mutações comparativamente, seguiremos através do estudo em linhagem celular de felino (Feline Skeletal Muscle Cells - FSkMC), através do estudo in vitro da resposta frente à condição de tirotoxicose induzida hormonalmente.