Busca avançada
Ano de início
Entree

Processo autofágico no reconhecimento de Escherichia coli enteroinvasora mediado por IcsA e IcsB: um possível mecanismo da degradação bacteriana por células epiteliais intestinais

Processo: 12/01123-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2012
Vigência (Término): 31 de março de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Marina Baquerizo Martinez
Beneficiário:Hadassa Cristhina de Azevedo Soares dos Santos
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Autofagia

Resumo

O reconhecimento de bactérias invasoras pela célula hospedeira é um fator chave na determinação do destino da infecção bacteriana. Estudos recentes indicam que a autofagia, sistema de degradação citoplasmática de organelas e proteínas citosólicas, também é capaz de reconhecer bactérias invasoras. Contudo, algumas espécies bacterianas, como Shigella flexneri, possuem estratégias de sobrevivência contra a degradação autofágica. Nosso laboratório tem por objetivo caracterizar a biologia da infecção por Escherichia coli enteroinvasora (EIEC), que por sua vez possui semelhanças fisiopatológicas com o gênero Shigella spp. A disseminação intra e intercelular dessas bactérias invasoras depende de duas proteínas efetoras, IcsA e IcsB. Chama a atenção que IcsA possui afinidade com a proteína autofágica Atg5, o que poderia induzir a morte bacteriana por autofagia. No entanto, como estratégia de defesa, IcsB é capaz de camuflar IcsA do reconhecimento por Atg5. Recentemente, observamos que a expressão dos genes icsA e icsB e a disseminação bacteriana em células intestinais são menores em EIEC quando comparado à S. flexneri. Diante dos resultados observados pelo nosso grupo de pesquisa e tendo como hipótese que a menor disseminação de EIEC teria alguma relação com sua morte por autofagia, nos perguntamos: a autofagia está relacionada com a morte de EIEC na célula hospedeira? Seria este um dos mecanismos que torna EIEC mais susceptível ao reconhecimento pela célula hospedeira?