Busca avançada
Ano de início
Entree

Regulação de proteínas ligantes de cálcio na neurodegeneração retiniana induzida por trauma mecânico

Processo: 12/03214-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de julho de 2012
Vigência (Término): 31 de maio de 2013
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Alexandre Hiroaki Kihara
Beneficiário:Fausto Colla Cortesao Zuzarte
Instituição-sede: Centro de Matemática, Computação e Cognição (CMCC). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Assunto(s):Degeneração neural   Degeneração retiniana

Resumo

REGULAÇÃO DE PROTEÍNAS LIGANTES DE CÁLCIO NA NEURODEGENERAÇÃO RETINIANA INDUZIDA POR TRAUMA MECÂNICOResumoO cálcio é uma molécula que desempenha diversas funções dentro da célula. Em neurônios, o influxo de cálcio desempenha um papel essencial na liberação de neurotransmissores durante a transmissão sináptica química. Além disso, as concentrações intracelulares determinam a progressão do ciclo celular e diferenciação. Existe um interesse crescente sobre o papel do cálcio na sobrevivência/morte neuronal, sendo que modelos de degeneração retiniana por traumatismo implicam o cálcio como íon sinalizador (Knöferlea, J. & Kocha, J., 2010), além de participar na regulação de liberação de óxido nítrico, implicado na degeneração retiniana por diabetes em camundongos (Kim, Y. H., & Kim, Y. S., 2011).Este Projeto tem como escopo caracterizar sistemas relacionados com o controle dos níveis intracelulares de cálcio. Em particular, as proteínas ligantes de cálcio EF hands calbindina, calretinina e parvalbumina parecem desempenhar o tamponamento intracelular deste íon, evitando a ação deletéria causada por sua forma livre. A modulação da expressão gênica e os níveis destas proteínas serão estudados por métodos bioquímicos e histológicos, tais como PCR em tempo real, western blot e imunofluorescência. A morte celular será avaliada por diversos métodos, tanto morfológicos (TUNEL, FluoroJade, colorações nucleares com iodeto de propídio e DAPI) como bioquímicos (ensaio de LDH, fragmentação de DNA em gel de agarose, ativação de caspases). Os ensaios serão realizados em retinas lesadas, tanto em explantes como in vivo. Para estudar a dinâmica do cálcio, utilizaremos quelantes como EDTA, EGTA e BAPTA. O material de consumo deste projeto, assim como os equipamentos necessários serão financiados pela FAPESP (Projeto Jovem Pesquisador "Acoplamento Celular no Arco da Vida: Desenvolvimento, Adaptação e Degeneração do Sistema Nervoso", 2008/55210-1) e MCT/CNPq (Edital Universal, "Um novo enfoque sobre o acoplamento celular: desenvolvimento e degeneração do sistema visual", 482859/2009-1), ambos coordenados pelo Prof. Dr. Alexandre H. Kihara.