Busca avançada
Ano de início
Entree

O efeito da poluição urbana de São Paulo sobre a produção de melatonina pela glândula pineal e na reatividade das células endoteliais de rato

Processo: 12/04508-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2012
Vigência (Término): 30 de abril de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Geral
Pesquisador responsável:Regina Pekelmann Markus
Beneficiário:Eliana Paula Pereira
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:07/07871-6 - Eixo Imune-Pineal: produção endócrina e parácrina de melatonina em condições de injúria, AP.TEM
Assunto(s):Glândula pineal   Poluição   Material particulado   Melatonina   Cronofarmacologia   Células endoteliais

Resumo

A melatonina, hormônio da glândula pineal liberado durante a fase noturna do ciclo claro/escuro ambiental, atua como agente citoprotetor e imunomodulador, independente da hora do dia. Nosso grupo de trabalho mostrou que não é apenas o hormônio melatonina que está envolvido no sistema de defesa, a própria glândula pineal participa desta ação em uma conversa bidirecional com o sistema imunológico. Além disso, foi demonstrado que a melatonina no endotélio reduz in vitro a expressão de moléculas de adesão e da enzima sintase de óxido nítrico induzida (iNOS), bem como a translocação nuclear do fator de transcrição kappa B (NFKB). Estes eventos podem resultar no efeito da melatonina sobre a redução do rolamento, adesão e migração de leucócitos como observado in vivo. A melatonina produzida pela pineal atua como um freio na montagem da resposta inflamatória na fase de escuro. As citocinas pró-inflamatórias ou padrões moleculares associados a patógenos (PAMP's) ativam receptores localizados na glândula pineal impedindo a produção noturna de melatonina, facilitando desta forma a montagem de uma resposta inflamatória. Processos que possam suprimir a produção noturna de melatonina, apesar de serem importantes para a proteção do organismo, certamente tornarão o homem mais susceptível às doenças decorrentes de respostas inflamatórias espúrias.A poluição do ar é um importante fator de risco para as populações urbanas com efeitos deletérios sobre a saúde e aumento de morbidade e mortalidade. Esta é formada por materiais de estados físicos variados e de diversas naturezas químicas: gases, líquidos e material particulado (MP). A demonstração que este material interage com os mesmos receptores que os PAMP's abre a perspectiva de que a poluição pode facilitar a montagem de respostas inflamatórias.O objetivo deste projeto é investigar se a poluição ambiental atmosférica interfere na reatividade das células endoteliais e se estas alterações são decorrentes das variações das concentrações da melatonina plasmática. Os estudos serão feitos em nível funcional e molecular avaliando expressão de moléculas de adesão, de enzimas e de vias de transdução envolvidas na resposta inflamatória. Em resumo, este projeto visa embasar a investigação de ações farmacológicas para proteger ou mesmo reverter os efeitos lesivos gerados pela poluição atmosférica através do conhecimento do eixo imune-pineal e se possível utilizando a melatonina ou análogos como agentes terapêuticos.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CARVALHO-SOUSA, CLAUDIA EMANUELE; PEREIRA, ELIANA P.; KINKER, GABRIELA S.; VERAS, MARIANA; FERREIRA, ZULMA S.; BARBOSA-NUNES, FERNANDA P.; MARTINS, JOILSON O.; SALDIVA, PAULO H. N.; REITER, RUSSEL J.; FERNANDES, PEDRO A.; DA SILVEIRA CRUZ-MACHADO, SANSERAY; MARKUS, REGINA P. Immune-pineal axis protects rat lungs exposed to polluted air. Journal of Pineal Research, FEB 2020. Citações Web of Science: 0.
MARCOLA, MARINA; LOPES-RAMOS, CAMILA M.; PEREIRA, ELIANA P.; CECON, ERIKA; FERNANDES, PEDRO A.; TAMURA, EDUARDO K.; CAMARGO, ANAMARIA A.; PARMIGIANI, RAPHAEL B.; MARKUS, REGINA P. Light/Dark Environmental Cycle Imposes a Daily Profile in the Expression of microRNAs in Rat CD133(+) Cells. Journal of Cellular Physiology, v. 231, n. 9, p. 1953-1963, SEP 2016. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.