Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do fortalecimento excêntrico na correlação entre o volume muscular e o torque dos extensores e flexores do joelho de hemiparéticos crônicos

Processo: 12/05585-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2012
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Tania de Fatima Salvini
Beneficiário:Carolina Akemi Maeda
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Paresia   Acidente vascular cerebral   Hipertrofia

Resumo

O Acidente Vascular Encefálico é uma das principais causas de incapacidade neurológica. Dentre as alterações clínicas destaca-se a fraqueza muscular como principal fator de limitação funcional na hemiparesia, dessa forma o treino de força é uma das alternativas utilizadas na reabilitação. Entretanto, não há relatos na literatura sobre a capacidade hipertrófica do músculo parético e sua relação com os ganhos de força. Assim, o objetivo deste estudo é investigar os efeitos de um programa de fortalecimento excêntrico no volume muscular e no desempenho dos extensores e flexores do joelho de hemiparéticos crônicos, comparados a um grupo controle. Farão parte do estudo 13 hemiparéticos crônicos e 13 sujeitos saudáveis. O protocolo do exercício excêntrico será realizado em dinamômetro isocinético, 3 vezes por semana, durante 12 semanas. O volume muscular será obtido por meio de ressonância nuclear magnética (RNM) e o torque por meio de dinamometria isocinética, antes e após o período de 12 semanas do treinamento. A análise dos dados será feita em ambos os grupos e inter-grupos (parético versus não-parético; parético versus controle; não-parético versus controle), bem como por meio da correlação entre as variáveis. Para a análise estatística serão aplicados os testes de normalidade (teste de Shapiro Wilk's) e homogeneidade (teste de Levene); se as variáveis tiverem uma distribuição considerada normal e homogênea, serão aplicados os testes paramétricos para avaliação dos resultados (Anova two way e Correlação de Pearson). Caso contrário, será aplicada a estatística não-paramétrica (Kruskal-Wallis e teste de Spearman). Será considerado o nível de significância de 0.05, com um intervalo de confiança (IC) de 95% para todos os testes estatísticos.