Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da estimulação purinérgica sobre a produção de melatonina por pineais na presença de agentes inflamatórios.

Processo: 12/06110-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2012
Vigência (Término): 31 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Pesquisador responsável:Zulma Felisbina da Silva Ferreira
Beneficiário:Leticia Dargenio Garcia
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Receptores purinérgicos   Trifosfato de adenosina   Melatonina

Resumo

A glândula pineal de mamíferos é um órgão neuroendócrino regulado pelo fotoperíodo ambiental. A principal inervação da pineal que regula a síntese de melatonina é constituída por fibras simpáticas provenientes do gânglio cervical superior (Kappers, 1960; Reuss, 1999) que, liberando noradrenalina (Wurtman et al, 1967; Drijfhout et al., 1996), ativam receptores b1 e ±1 adrenérgicos resultando na produção noturna de melatonina. O ATP, co-liberado com noradrenalina, liga-se a receptores P2Y1 potenciando a produção do precursor N-acetilserotonina induzida por ativação de adrenoceptores beta1 (Mortani-Barbosa et al., 2000; Ferreira et al., 2001, 2003).A melatonina, hormônio produzido e liberado por esta glândula, tem importante papel como sinalizador do escuro e sincronizador dos ritmos e das funções endógenas às variações ambientais (Pandi-Perumal et al., 2008) mas possui também uma ampla gama de ações, inclusive no sistema imunológico, ode possui um papel bimodal sendo tanto modulado por ele como modulando-o. Dados do nosso laboratório exemplificam isso quando mostrado que LPS de bactérias gram negativas aumentam o conteúdo de serotonina e inibem a produção de N-acetilserotonina e melatonina induzidos por noradrenalina em glândulas pineais em cultura (da Silveira Cruz-Machado et al., 2010). A sinalização purinérgica representa um papel importante na regulação de processos fisiológicos e fisiopatológicos, sendo suas respostas funcionais reguladas por uma serie de "cross-talks" de vias de segundos mensageiros (Franke e Illes, 2006), inclusive sendo reconhecido pelas células imunológicas e desencadeando variadas respostas inflamatórias.Temos, portanto, subsídios para pressupor que ATP possa estar envolvido no controle da resposta da glândula em situações de injúria.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SOUZA-TEODORO, LUIS HENRIQUE; DARGENIO-GARCIA, LETICIA; PETRILLI-LAPA, CAMILA LOPES; SOUZA, EWERTON DA SILVA; FERNANDES, PEDRO A. C. M.; MARKUS, REGINA P.; FERREIRA, ZULMA S. Adenosine triphosphate inhibits melatonin synthesis in the rat pineal gland. Journal of Pineal Research, v. 60, n. 2, p. 242-249, MAR 2016. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.