Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da estimulação purinérgica sobre a produção de melatonina por pineais na presença de agentes inflamatórios

Processo: 12/06110-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2012
Vigência (Término): 31 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Pesquisador responsável:Zulma Felisbina da Silva Ferreira
Beneficiário:Leticia Dargenio Garcia
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Receptores purinérgicos   Trifosfato de adenosina   Melatonina

Resumo

A glândula pineal de mamíferos é um órgão neuroendócrino regulado pelo fotoperíodo ambiental. A principal inervação da pineal que regula a síntese de melatonina é constituída por fibras simpáticas provenientes do gânglio cervical superior (Kappers, 1960; Reuss, 1999) que, liberando noradrenalina (Wurtman et al, 1967; Drijfhout et al., 1996), ativam receptores b1 e ±1 adrenérgicos resultando na produção noturna de melatonina. O ATP, co-liberado com noradrenalina, liga-se a receptores P2Y1 potenciando a produção do precursor N-acetilserotonina induzida por ativação de adrenoceptores beta1 (Mortani-Barbosa et al., 2000; Ferreira et al., 2001, 2003).A melatonina, hormônio produzido e liberado por esta glândula, tem importante papel como sinalizador do escuro e sincronizador dos ritmos e das funções endógenas às variações ambientais (Pandi-Perumal et al., 2008) mas possui também uma ampla gama de ações, inclusive no sistema imunológico, ode possui um papel bimodal sendo tanto modulado por ele como modulando-o. Dados do nosso laboratório exemplificam isso quando mostrado que LPS de bactérias gram negativas aumentam o conteúdo de serotonina e inibem a produção de N-acetilserotonina e melatonina induzidos por noradrenalina em glândulas pineais em cultura (da Silveira Cruz-Machado et al., 2010). A sinalização purinérgica representa um papel importante na regulação de processos fisiológicos e fisiopatológicos, sendo suas respostas funcionais reguladas por uma serie de "cross-talks" de vias de segundos mensageiros (Franke e Illes, 2006), inclusive sendo reconhecido pelas células imunológicas e desencadeando variadas respostas inflamatórias.Temos, portanto, subsídios para pressupor que ATP possa estar envolvido no controle da resposta da glândula em situações de injúria.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SOUZA-TEODORO, LUIS HENRIQUE; DARGENIO-GARCIA, LETICIA; PETRILLI-LAPA, CAMILA LOPES; SOUZA, EWERTON DA SILVA; FERNANDES, PEDRO A. C. M.; MARKUS, REGINA P.; FERREIRA, ZULMA S. Adenosine triphosphate inhibits melatonin synthesis in the rat pineal gland. Journal of Pineal Research, v. 60, n. 2, p. 242-249, MAR 2016. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.