Busca avançada
Ano de início
Entree

Certificação de Origem Nutricional de carne bovina de ½ sangue Angus- Nelore criados no sistema de produção superprecoce pela técnica dos isótopos estáveis ambientais.

Processo: 12/07360-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2012
Vigência (Término): 30 de abril de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Produção Animal
Pesquisador responsável:Cyntia Ludovico Martins
Beneficiário:Lucas Domingos Ferreira Miranda
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/57411-4 - Isótopos estáveis ambientais em zootecnia, AP.TEM
Assunto(s):Confinamento   Rastreabilidade

Resumo

O objetivo deste trabalho será avaliar a assimilação isotópica do carbono-13 da dieta nos tecidos de bovinos jovens e a possível utilização da análise de isótopos estáveis de carbono como método traçador da dieta de bovinos jovens, no sangue, plasma, fezes, fígado, tecido muscular e adiposo. Serão utilizados 24 animais machos não castrados da raça Angus x Nelore com peso vivo médio inicial de 220 kg, e provenientes de cria em sistema de "creep-feeding'' Ao chegarem ao confinamento, os animais serão todos vacinados, desverminados e submetidos a um período de adaptação de 10 dias com o objetivo de uniformizar a população ruminal dos mesmos e adaptação às instalações e ao manejo Após o período de adaptação, os animais serão distribuídos aleatoriamente em 2 tratamentos. O tratamento C3A se constituirá dos animais que receberão dietas para sinal isotópico C3 e o tratamento C4A se constituirá dos animais que receberão dietas para sinal isotópico C4. Para avaliar a possível utilização da técnica de isótopos estáveis como método traçador de dietas serão colhidas amostras mensais da dieta e dos ingredientes utilizados para monitoramento dos sinais isotópicos de Carbono. Durante o abate serão realizadas coletas de sangue, plasma e fígado e após o resfriamento da carcaça, por 24 horas, serão colhidas amostras de tecido muscular e adiposo para monitoramento do sinal isotópico do carbono-13. Os dados serão submetidos a análise de variância multivariada (MANOVA), sendo complementada por teste de agrupamento.