Busca avançada
Ano de início
Entree

Aprimoramento de protocolos de manejo reprodutivo à base de hormônios exógenos para elevar a fertilidade de vacas leiteiras de alta produção

Processo: 12/07890-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de maio de 2012
Vigência (Término): 31 de julho de 2012
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Roberto Sartori Filho
Beneficiário:Leonardo de França e Melo
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/11395-0 - Aprimoramento de protocolos de manejo reprodutivo à base de hormônios exógenos para elevar a fertilidade de vacas leiteiras de alta produção, AP.R
Assunto(s):Inseminação   Hormônios   Sincronização   Bovinos

Resumo

Nos últimos anos, diversas alterações têm sido observadas na fisiologia reprodutiva de vacas leiteiras, comprometendo os índices de concepção. Estas alterações estão aparentemente relacionadas à alta produção de leite por vaca, resultado de intenso incremento nutricional, seleção genética e técnicas de manejo voltadas para a produção de leite. Tendo em vista a relação direta entre o aumento na produção de leite e a diminuição da fertilidade, tem-se buscado alternativas para incrementar os índices de fertilidade. Uma das alternativas é o desenvolvimento de protocolos de sincronização deovulação para a inseminação artificial em tempo fixo (IATF) com o uso de hormônios exógenos, já que os hormônios esteróides endógenos em vacas de alta produção são metabolizados em proporção elevada devido ao alto fluxo sanguíneo hepático. Assim, este estudo envolverá diversos experimentos com o propósito de, ao final, sedesenvolver um protocolo de IATF que assegure elevadas taxas de sincronização de ovulação, assim como um ambiente hormonal adequado para otimizar a qualidade ovocitária e embrionária em vacas leiteiras de alta produção. No Experimento 1 (n = 40), será confirmada qual a melhor dose de benzoato de estradiol (BE), que concomitante com a inserção do dispositivo de Progesterona (P4), sincronizará com mais precisão a emergência de uma nova onda de crescimento folicular; no Experimento 2 (n = 60), será avaliado se o protocolo associando-se BE e P4 possui a mesma eficiência de sincronização em diferentes momentos da onda folicular, ou seja, na presença ou ausência de um folículo dominante; no Experimento 3 (n = 400), avaliar-se-á o efeito da suplementação de P4 após IATF na taxa de concepção de vacas em lactação; no Experimento 4 (n = 600), o efeito da suplementação de P4 previa ou simultaneamente à transferência de embriões na taxa de concepção será testado em vacas em lactação usadas como receptoras de embrião; no Experimento 5 (n = 900), serão comparados três grupos. G1: vacas submetidas à IA convencional após observação de estro, G2: vacas submetidas a IATF após sincronização com benzoato de estradiol (BE) e dispositivo intravaginal de P4, e G3: vacas submetidas à IATF após o mesmo protocolo do G2, mas com a aplicação de GnRH 3 ou 7 dias (baseado nos resultados do Experimento 2) antes do início do protocolo, proporcionando alta P4 pré-IA devido ao corpo lúteo formado após o GnRH. A perspectiva deste estudo é que, ao final, haja um incremento substancial no conhecimento dos fatores envolvidos com o sucesso ou insucesso dos protocolos para IATF, além de aumentar o conhecimento sobre a fisiologia reprodutiva de vacas leiteiras manejadas em sistemas intensivos no Brasil. Espera-se também que, com todas essas informações agregadas, possa-se identificar e sugerir as estratégias de manejo reprodutivo mais indicadas para distintas categorias de vacas em lactação ou manejadas sob diferentes condições.