Busca avançada
Ano de início
Entree

Peixes teleósteos da região Sudeste-Sul do Brasil: i - consolidação da coleção de otólitos do Laboratório de Ictiofauna e Crescimento do IOUSP (LABIC). II - caracterização dos otólitos sagittae das espécies da coleção

Processo: 12/09189-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de junho de 2012
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Carmen Lúcia Del Bianco Rossi Wongtschowski
Beneficiário:Marina Casare Mussolini
Instituição-sede: Instituto Oceanográfico (IO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:10/51631-2 - Peixes teleósteos da região Sudeste-Sul do Brasil: 1 - Consolidação da coleção de otólitos do laboratório de ictiofauna e crescimento do IOUSP (LABIC); 2 - Caracterização dos otólitos Sagitta das espécies da coleção: Fase 1 - Ordem Gadiformes, AP.R

Resumo

Consolidar a coleção de otó1itos sagittae do Laboratório de Ictiofauna e Crescimento do I0USP (LABIC) que vem sendo constituida desde 1986 e que dispõem de mais de 20.000 pares de estruturas, pertencentes a 143 espécies distribuidas em 62 famílias. Levando em conta que, na maioria dos casos, os estudos que apresentam desenhos, fotografias e esquemas dessas estruturas não permitem uma inequivoca identificação das especies, devido à falta de definição e detalhes, será dada especial atenção à preparação de desenhos minuciosos, assim como, de fotografias com elevada qualidade de definição. Além dos desenhos detalhados e fotos digitais das estruturas, deverão ser realizadas as descrições morfológica e morfométrica dos sagittae das especies da referida coleção. Serão analisados os otólitos dos Gadiformes (Macrouridae e Gadidae) e dos Perciformes (Carangidae, Sciaenidae, Scombridae e Serranidae). Dispondo dos resultados dos desenhos, fotos digitais, dados morfológicos e morfométricos das estruturas analisadas, pretende-se organizar pranchas, de forma a disponibilizar, no futuro, um guia prático de identificação dos otólitos de peixes teleósteos da região Sudeste-Sul do Brasil, que servirá como importante instrumento na identificação das especies em camadas fossilíferas, sitios arqueológicos e conteúdo estomacal de predadores. A coleção disponibilizará para a comunidade cientifica brasileira e internacional, uma rica e diversificada coleção de otó1itos sagittae de peixes do Atlantico Sudoeste, subsidiando diferentes linhas de pesquisa que utilizam tais estruturas (taxonomia, filogenia, zoogeografia, metabolismo, biologia pesqueira, paleoecologia, paleoclimatologia, estratigrafia, ecologia alimentar, entre outros).