Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização espacial e temporal das células subtropical-tropical rasas dos oceanos Pacífico e Atlântico

Processo: 12/00355-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2012
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Física
Pesquisador responsável:Olga Tiemi Sato
Beneficiário:Nancy Kazumi Taniguchi
Instituição-sede: Instituto Oceanográfico (IO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Interação do oceano com a atmosfera   Circulação oceânica   Temperatura da superfície do mar

Resumo

As células tropicais-subtropicais (CTS) referem-se às células de revolvimento meridional rasas, atuantes nos primeiros 500m de coluna-d'água, resultantes da dinâmica de Ekman próxima à região equatorial tanto no Atlântico como no Pacífico. As águas superficiais afloram nas regiões tropicais em resposta à divergência equatorial e são levadas em direção aos polos. Quando chegam nas regiões subtropicais nos meses de inverno, devido aos processos convectivos associados à interação entre o oceano e a atmosfera, perdem calor e afundam até a termoclina onde são transportadas em sub-superfície até as regiões tropicais aflorando novamente e assim fechando a célula. A escala de tempo no qual ocorre o afundamento e afloramento das águas nessas células são relativamente lentas, podendo ocorrer em escalas interanuais até escalas decadais. A partir do mecanismo de funcionamento da CTS, nota-se que a mesma tem efeito importante sobre a temperatura da superfície do mar (TSM). Desta forma, pode ser considerada como uma importante componente oceânica atuante na variabilidade dos processos associados à interação entre o oceano e a atmosfera. No oceano Pacífico, os caminhos da CTS, bem como os transportes envolvidos, têm sido investigados extensivamente por estudos observacionais e teóricos. Diferentemente do Pacífico, poucos estudos observacionais sobre a CTS são conduzidos para o Atlântico, embora vários trabalhos de modelagem tenham sido publicados mais recentemente. Sendo assim, o presente trabalho visa contribuir para uma melhor compreensão da estrutura da mesma, além de comparar e quantificar as flutuações detectáveis em escalas de tempo interanual ou até intra-decadais para o Atlântico e Pacífico. Para isto traçamos como objetivo analisar as variações no transporte meridional de volume das camadas superiores até a profundidade da termoclina e/ou da picnoclina na região tropical dos oceanos Atlântico e Pacífico em escalas interanuais a intradecadais. Pretendemos testar a hipótese de que as variações de baixa frequência no campo da temperatura da superfície do mar (TSM) observadas em regiões subtropicais são correlacionadas com as variações observadas nas regiões tropicais devido à dinâmica associada às células tropicais-subtropicais. (AU)