Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência do número de cópias do gene da ECA no remodelamento e na função vasodilatadora de artérias de resistência na síndrome metabólica

Processo: 12/09283-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2012
Vigência (Término): 31 de maio de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Dulce Elena Casarini
Beneficiário:Ivana Cinthya de Moraes da Silva
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:10/51904-9 - Sistema renina angiotensina e calicreina cininas na hipertensão, obesidade, diabetes, desnutrição e sepses: mecanismos moleculares, celulares e fisiopatológicos, AP.TEM
Assunto(s):Síndrome metabólica   Pressão sanguínea   Resistência à insulina   Sistema renina-angiotensina

Resumo

O sistema renina angiotensina (SRA) exerce um importante papel na regulação cardiovascular, por isso, a investigação de genes candidatos que possam influenciar o desenvolvimento ou progressão de doenças, levaram à identificação de diversos polimorfismos do SRA. No entanto, o impacto dessa variação genética na expressão de fenótipos ainda é pouco conhecido, tanto em condições normais quanto diante de fatores de risco. Sabe-se que alterações nas pequenas artérias, tanto morfológicas quanto funcionais, são responsáveis pela gênese e manutenção de distúrbios cardiovasculares, como a hipertensão arterial. Além disso, disfunções da função vascular estão presentes na progressão de diversas doenças e o SRA vascular tem papel primordial nesses processos. O objetivo do presente projeto é investigar a influência de diferentes números de cópias do gene da enzima conversora da angiotensina (ECA) no remodelamento e função vasodilatadora de artérias mesentéricas de resistência (AMR) em camundongos saudáveis ou com síndrome metabólica. Para tanto, serão utilizados camundongos machos expressando 1, 2 ou 3 cópias do gene da ECA que receberão água pura ou enriquecida com frutose (10%) durante 8 semanas. Os animais terão peso, pressão arterial, glicemia e lipídios medidos ao longo do período de acompanhamento. Ao final das 8 semanas, a pressão arterial será medida diretamente através de cânulas inseridas cirurgicamente na artéria carótida e a sensibilidade barorreflexa será avaliada pela infusão de drogas vasoativas pela veia jugular. Os sinais de pressão arterial serão estudados e a variabilidade da freqüência cardíaca e pressão arterial serão calculadas utilizando-se a análise espectral. O estudo da reatividade vascular será feito em AMR isoladas e em condição isométrica avaliando-se a resposta vasodilatadora para identificação de possível disfunção endotelial. Além disso, as estruturas da parede das AMR serão analisadas histologicamente e serão quantificados os componentes do SRA nas artérias estudadas. Dessa forma, pretendemos elucidar se discretas variações na dosagem de ECA são capazes de provocar alterações em pequenas artérias, predispondo tal organismo ao aparecimento e progressão de doenças, nesse caso, a síndrome metabólica, caracterizando, assim a participação do SRA no leito vascular arterial de resistência.