Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação das características de superfície e formação de biofilmes em materiais odontológicos tratados em plasmas de HMDSO

Processo: 12/09823-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de junho de 2012
Vigência (Término): 31 de março de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Pesquisador responsável:Ana Lucia Machado
Beneficiário:Raissa Barcha Accarini
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/00122-6 - Avaliação das características de superfície e formação de biofilmes em materiais odontológicos tratados em plasmas de HMDSO, AP.R
Assunto(s):Microbiologia   Titânio   Zircônia   Placa bacteriana   Resinas acrílicas

Resumo

Os biofilmes podem ter impacto na qualidade de vida dos indivíduos e, dentre as doenças orais mais comuns associadas aos biofilmes, pode-se destacar a periodontite, a peri-implantite e a candidíase. Os materiais odontológicos atuam como substrato para a adesão dos microrganismos e, consequentemente, desenvolvimento do biofilme. Tendo em vista que as características de superfície dos materiais podem interferir na adesão inicial, alterações dessas características podem impedir ou diminuir a adesão de bactérias e fungos, evitando assim, o desenvolvimento da doença. Assim, o objetivo deste estudo será avaliar o efeito da deposição de filmes polimerizados a plasma a partir do composto organometálico hexametildisiloxano (HDMSO), nas características de superfície de materiais odontológicos (titânio, zircônia e resina acrílica), bem como na formação de biofilmes. Para isso, o HMDSO será utilizado no processo PECVD (Plasma Enhanced Chemical Vapor Deposition) para a deposição de filmes nas superfícies dos corpos de prova, de maneira que resulte na formação de filmes com características hidrofóbicas ou hidrofílicas. Corpos de prova de cada um dos materiais serão mantidos sem deposição de filmes (grupos controles). A caracterização dos filmes obtidos será realizada através de espectroscopia no infravermelho (FTIR), microscopia eletrônica de varredura (MEV), microscopia de força atômica (AFM), medida de ângulos de contato e energia de superfície, espectroscopia de fotoelétrons de raios-X (XPS) e perfilometria. Para avaliação da formação de biofilmes, os corpos de prova (10 X 2 mm) dos grupos experimentais e controles serão incubados com Porphyromonas gingivalis (para o titânio e a zircônia) e Candida albicans (para a resina acrílica). Os corpos de prova serão contaminados com 1 × 107 células/mL dos respectivos microrganismos e, após os períodos de formação dos biofilmes, esses serão avaliados por meio da contagem de colônias (UFC/mL) e ensaio de XTT. Os resultados obtidos de formação de biofilmes serão submetidos à análise estatística para posterior interpretação e discussão. (AU)