Busca avançada
Ano de início
Entree

Diversidade morfológica e evolução de glândulas de anteras em Mimoseae (Mimosoideae, Leguminosae)

Processo: 12/01296-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2012
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Morfologia Vegetal
Pesquisador responsável:Simone de Pádua Teixeira
Beneficiário:Thais Cury de Barros
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Leguminosae   Anatomia

Resumo

Glândulas em anteras ocorrem em um pequeno número de famílias de angiospermas. A tribo Mimoseae, da família Leguminosae, detém a maioria dos registros para essa estrutura, presente em quase todos os seus representantes. As glândulas são pluricelulares, compostas geralmente de um pedúnculo multisseriado e uma cabeça secretora, que apresentam grande diversidade morfológica. As principais hipóteses levantadas em relação à função exercida pelas glândulas associam-nas à polinização, seja por meio da produção de substâncias que atuem como recompensa alimentar aos polinizadores, ou de substâncias aderentes, que prendam o pólen ao corpo dos animais visitadores. Pouco se conhece a respeito da natureza química dos compostos produzidos por tais estruturas, constando na literatura relatos de produção de substâncias hidrofóbicas, compostos fenólicos e carboidratos. A origem das glândulas também não foi estudada e, portanto, não se sabe se são estruturas homólogas no grupo ou resultado de convergência adaptativa. Assim, os objetivos do trabalho são: (1) estudar detalhadamente a diversidade morfológica das glândulas presentes nas anteras, desde sua origem até a fase pós-secretora, em espécies de Mimoseae; (2) analisar a composição química do exsudato, para juntamente com dados de observações da flor em campo, atribuir funções à glândula; e (3) comparar a morfologia da glândula entre as espécies de gêneros posicionados em diferentes clados na árvore filogenética proposta para a tribo, a fim de inferir se as glândulas são homólogas ou homeoplásticas na tribo.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DE BARROS, THAIS CURY; PEDERSOLI, GISELI DONIZETE; TEIXEIRA, SIMONE PADUA. Anther glands in Mimosoideae (Leguminosae) are emergences with a conserved meristematic origin. FLORA, v. 226, p. 1-9, JAN 2017. Citações Web of Science: 4.
THAIS CURY DE BARROS; CRISTINA RIBEIRO MARINHO; GISELI DONIZETE PEDERSOLI; JULIANA VILELLA PAULINO; SIMONE PÁDUA TEIXEIRA. Beyond pollination: diversity of secretory structures during flower development in different legume lineages. Acta Botanica Brasilica, v. 31, n. 3, p. 358-373, Set. 2017. Citações Web of Science: 3.
DE BARROS, THAIS CURY; TEIXEIRA, SIMONE PADUA. REVISITED ANATOMY OF ANTHER GLANDS IN MIMOSOIDS (LEGUMINOSAE). INTERNATIONAL JOURNAL OF PLANT SCIENCES, v. 177, n. 1, p. 18-33, JAN 2016. Citações Web of Science: 6.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.