Busca avançada
Ano de início
Entree

Estrutura da comunidade macrobentônica em costões rochosos subtropicais naturalmente fragmentados

Processo: 12/08377-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2012
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Ronaldo Adriano Christofoletti
Beneficiário:Andre Luiz Pardal Souza
Instituição-sede: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Assunto(s):Ecologia da paisagem   Ecologia marinha   Comunidades marinhas   Macrobentos   Habitat

Resumo

O estudo de processos ecológicos em diferentes escalas espaciais tem sido um tópico amplamente discutido em ecologia nas últimas décadas. Particularmente em ambientes costeiros, os processos ascendentes e descendentes reguladores da comunidade são bem estudados, enquanto que a abordagem paisagística trata-se de um assunto emergente. Este projeto trabalhará com a hipótese de que processos ecológicos são afetados pela fragmentação natural de habitat, refletindo na estrutura da comunidade. Trabalhos prévios têm mostrado a influência do biofilme no assentamento larval (mediação) e em parâmetros populacionais de herbívoros (controle ascendente), além do impacto de consumidores não seletivos ('bulldozers') no recrutamento larval (controle descendente). Assim, padrões diferenciais de distribuição e abundância de pastadores e biofilme em uma área, presumidamente, influem na estruturação e dinâmica das comunidades locais. Nesse sentido, será avaliada a estrutura da comunidade macrobentônica séssil (composição, abundância e distribuição vertical), bem como parâmetros populacionais de pastadores sedentários (lapas e litorinídeos) entre rochas com diferentes geomorfologias (sem supralitoral e isoladas; com supralitoral e com conectividade com o ambiente terrestre). Como modelo de estudo serão utilizados costões rochosos em Ubatuba, litoral norte de São Paulo. Além disso, a atividade de pastagem do isópodo Ligia exotica será estimada, partindo da premissa que esta espécie é a principal consumidora de biofilme nesta região, e, portanto, sua ocorrência diferencial influencie na dinâmica da comunidade. (AU)