Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de scaffolds bioativos incorporados com óleos vegetais para regeneração de tecido cutâneo a partir da tecnologia de eletrofiação

Processo: 12/09110-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2012
Vigência (Término): 31 de agosto de 2016
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química
Pesquisador responsável:Edison Bittencourt
Beneficiário:Ana Luíza Garcia Millás Massaguer
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Química (FEQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Eletrofiação   Tecidos suporte   Biopolímeros   Biomateriais   Engenharia tecidual   Nanofibras

Resumo

A ciência dos biomateriais e a nanotecnologia caminham juntas em busca de novas alternativas para a melhoria das propriedades físicas, químicas e mecânicas dos materiais, relacionadas à alta razão de aspecto superfície/volume e às dimensões nanométricas que possibilitam obter ótimo desempenho com pouca quantidade de material. Esse trabalho objetiva produzir matrizes de nanofibras, tridimensionais e altamente porosas, a partir de um ou da mistura de polímeros naturais e/ou sintéticos, com propriedades biodegradáveis, biocompatíveis e bioreabsorvíveis. Focando a aplicação como scaffolds para regeneração cutânea na área da biomedicina, é interessante que essas nanofibras mimetizem a matriz extracelular do organismo. A tecnologia utilizada será a eletrofiação, o estudo dos parâmetros do equipamento e das condições da solução polimérica para a produção das estruturas desejadas será etapa primordial do projeto. Para tornar o scaffold bioativo e funcional, serão adicionadas quantidades terapêuticas de óleos naturais das espécies Copaifera landesdorffi, Cymbopogon nardus e Carapa guianensis às soluções poliméricas pré-eletrofiadas. Esses óleos tem comprovadas propriedades cicatrizantes, analgésicas e antimicrobianas. As nanofibras incorporadas com os óleos naturais serão caracterizadas quanto ao diâmetro, tamanho e distribuição de poro, e resistência mecânica. Primeiramente serão feitos testes de biocompatibilidade e viabilidade celular in vitro, para adesão, proliferação, diferenciação e expressão gênica, com fibroblastos da derme humana e se iniciarão os testes in vivo. A influência desses três óleos sobre o processo de eletrofiação e sobre a estrutura das fibras confeccionadas já foi estudada pelo grupo. As análises e caracterização do material serão feitas por Microscopia Óptica, Microscopia Eletrônica de Varredura, Análises Térmicas, Cromatografia Gasosa e PCR em tempo real.

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre a bolsa::
Peau artificielle 
Piel artificial 
Pele artificial 
Piel artificial 

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.