Busca avançada
Ano de início
Entree

O Ornamento do Caminho do Meio: uma lógica filosófica das possibilidades comunicacionais ainda pouco explorada

Processo: 11/20332-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2012
Vigência (Término): 31 de julho de 2012
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Comunicação
Pesquisador responsável:Ciro Juvenal Rodrigues Marcondes Filho
Beneficiário:Ana Paula Martins Gouveia
Supervisor no Exterior: José Ignacio Cabezón
Instituição-sede: Escola de Comunicações e Artes (ECA). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of California, Santa Barbara (UC Santa Barbara), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:10/20781-9 - O Ornamento do Caminho do Meio: Uma Lógica Filosófica das Possibilidades Comunicacionais Ainda Pouco Explorada., BP.PD
Assunto(s):Filosofia   Realidade   Alteridade

Resumo

Neste projeto de pós-doutorado, pretendo traduzir, comentar, contextualizar e atualizar (no sentido de aplicar à questão específica a ser aqui desenvolvida) um dos textos mais significativos da filosofia e da lógica budista tibetana e discutir a relação direta deste com a Nova Teoria da Comunicação, desenvolvida por Ciro Marcondes Filho, particularmente no que concerne ao "quase método" proposto por ele, o Metáporo. O texto a ser trabalhado, O Ornamento do Caminho do Meio (tib.: dbu ma rgyan), foi originalmente escrito em sânscrito e, como grande parte dos textos deste período, tem o seu original desaparecido; todavia, a tradução do mesmo para o tibetano foi orientada e supervisionada pelo próprio autor, Shantarakshita, um príncipe indiano do século VIII. O objetivo deste projeto é identificar como a lógica da manifestação dos fenômenos e as efetivas possibilidades comunicacionais entre os seres dentro da perspectiva apresentada no texto de Shantarakshita toca, evidencia e talvez até amplie aspectos da Nova Teoria da Comunicação apresentada e proposta por Ciro Marcondes Filho. Além disso, considero relevante ressaltar a importância de trazer "à tona" um universo de conhecimentos oriundos do pensamento filosófico tibetano/indiano que, mesmo quando mencionado, em geral, é tratado de forma por vezes bastante simplista ou pouco aprofundada. A proposta aqui é a de resgatar estes textos e poder tornar este conhecimento milenar mais acessível tanto aos pesquisadores da comunicação, quanto de outras áreas que possam se interessar por este campo ainda pouco explorado, particularmente no contexto brasileiro. (AU)