Busca avançada
Ano de início
Entree

Diversidade de espécies e coexistência: qual o papel destes componentes na variação morfológica em hilídeos sul-americanos?

Processo: 11/20677-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2011
Vigência (Término): 31 de março de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Teórica
Pesquisador responsável:Célio Fernando Baptista Haddad
Beneficiário:Vitor Hugo Mendonça do Prado
Supervisor no Exterior: Pedro R. Peres-Neto
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Local de pesquisa : Université du Québec à Montréal (UQÀM), Canadá  
Vinculado à bolsa:10/50125-6 - Diversidade de espécies e coexistência: qual o papel destes componentes na variação morfológica em hilídeos sul-americanos?, BP.PD
Assunto(s):Ecologia de comunidades   Morfologia animal   Anura

Resumo

Algumas teorias evolutivas predizem uma relação positiva entre diversificação de espécies e diversidade morfológica dentro das diferentes linhagens. A diferenciação de nicho é geralmente seguida pela seleção de fenótipos divergentes, que, por sua vez, minimiza interações entre espécies competidoras (deslocamento de caracteres). Portanto, é esperada uma forte influência da variação morfológica entre espécies de uma linhagem no padrão de coexistência destas espécies. No entanto, esta relação tem sido pouco testada. Os objetivos do presente projeto são testar esta relação com dados morfológicos e de distribuição geográfica de hilídeos sul-americanos. A variação morfológica será quantificada para espécies do continente, com base em 28 medidas morfométricas. A distribuição das espécies e a sobreposição espacial serão quantificadas de acordo com mapas de distribuição geográfica disponíveis em bases de dados. A hipótese de que a diversificação morfológica é uma função do número de espécies e/ou da sobreposição espacial será testada por regressão múltipla. A inércia filogenética será avaliada pelo método de quadrados mínimos generalizados, enquanto que o padrão de coexistência das características morfológicas será avaliado por modelos nulos. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DA SILVA, FERNANDO RODRIGUES; ALMEIDA-NETO, MARIO; MENDONCA DO PRADO, VITOR HUGO; BAPTISTA HADDAD, CELIO FERNANDO; ROSSA-FERES, DENISE DE CERQUEIRA. Humidity levels drive reproductive modes and phylogenetic diversity of amphibians in the Brazilian Atlantic Forest. Journal of Biogeography, v. 39, n. 9, p. 1720-1732, SEP 2012. Citações Web of Science: 32.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.