Busca avançada
Ano de início
Entree

Determinação de um protocolo de solubilização e purificação da proteína de membrana oxidase alternativa (AOX) do fungo Moniliophthora perniciosa, agente etiológico da doença vassoura de bruxa do cacaueiro

Processo: 11/21867-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2012
Vigência (Término): 31 de março de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Gonçalo Amarante Guimarães Pereira
Beneficiário:Paula Favoretti Vital Do Prado
Supervisor no Exterior: Isabel Moraes
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa: Diamond Light Source, Inglaterra  
Vinculado à bolsa:11/07928-3 - Caracterização estrutural da proteína mitocondrial oxidase alternativa do fungo Moniliophthora perniciosa, agente etiológico da doença vassoura de bruxa do cacaueiro, BP.IC
Assunto(s):Purificação de proteínas   Cristalografia de proteínas   Proteínas da membrana   Cacau   Moniliophthora   Vassoura-de-bruxa

Resumo

O cacau é um dos dez produtos agrícolas mais relevantes em escala global. A partir do final da década de 80, quando surgiu a doença vassoura de bruxa causada pelo fungo Moniliophthora perniciosa, a produção do cacau no Brasil diminuiu consideravelmente, tornando-o um importador deste produto agrícola. O projeto Genoma da Vassoura de Bruxa, assim como os subsequentes estudos de transcriptoma, permitiram a elucidação de alguns dos mecanismos do fungo que contribuem para sua patogenicidade. Neste contexto, verificou-se que a enzima vida do fitopatógeno. A AOX é a principal enzima da via alternativa de transporte de elétrons, capaz de realizar a transferência de elétrons diretamente da ubiquinona para o oxigênio, sem o concomitante bombeamento de prótons e consequente síntese de ATP. Portanto, a AOX permite a continuação da respiração celular mesmo em situações de inibição da via respiratória principal, estando relacionada à resistência de fungos contra drogas que atuam na cadeia respiratória principal. O projeto original de iniciação científica da aluna candidata tem o foco na expressão, purificação e cristalização da proteína AOX de M. Perniciosa, para estudos estruturais, que podem auxiliar no desenvolvimento de novos compostos com potencial fungicida. Sendo a AOX uma proteína de ancoramento à membrana, este projeto visa uma Bolsa de Estágio de Pesquisa no Exterior (BEPE) para que a aluna possa aprender as modernas técnicas utilizadas na expressão e purificação de proteínas de membrana em um laboratório especializado neste assunto, expertise ainda inexistente no Brasil. Para isto, escolheu-se o renomado Membrane Protein Laboratory (MPL), na Inglaterra. O objetivo deste estágio de 2 meses é de que a aluna desenvolva protocolos de expressão, solubilização e purificação da AOX de M. perniciosa. (AU)