Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção de sentidos sobre a participação da família no tratamento: a construção da dialogia como ferramenta de inclusão

Processo: 11/22234-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 05 de março de 2012
Vigência (Término): 04 de julho de 2012
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Tratamento e Prevenção Psicológica
Pesquisador responsável:Carla Guanaes Lorenzi
Beneficiário:Pedro Pablo Sampaio Martins
Supervisor no Exterior: Sheila McNamee
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of New Hampshire (UNH), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:11/02365-0 - Sentidos construídos por familiares de portadores de doença mental acerca da participação da família no tratamento, BP.MS
Assunto(s):Terapia familiar   Saúde mental   Terapêutica   Entrevistas (psicologia)   Família

Resumo

Este projeto de estágio em pesquisa surge como forma de ampliar os objetivos do projeto de mestrado já em andamento, intitulado "Sentidos construídos por familiares de portadores de doença mental acerca da participação da família no tratamento". Inserido no contexto de discussão acerca da inclusão da família nos tratamentos em saúde mental, ao buscarmos no projeto original os sentidos construídos por esses familiares sobre o convite para participarem do tratamento de seu parente em semi-internação em um Hospital-Dia, percebemos como algumas entrevistas se produziram como um espaço dialógico, em que determinadas posturas do entrevistador poderiam ser entendidas em si mesmas como maneiras de inclusão. Assim, este estágio em pesquisa tem o objetivo de analisar o processo de comunicação nestas entrevistas permitindo a reflexão especificamente sobre: a) a entrevista como atividade coordenada de produção de sentidos, e b) a relação dialógica construída entre pesquisador e entrevistado, como possibilidade de performatizar a inclusão do familiar no tratamento. Com isto, esperamos ser capazes de dar visibilidade ao conhecimento produzido por esta pesquisa como uma realização relacional e situada na interação social, procurando refletir, por um lado, sobre sua unicidade e especificidade e, por outro, sobre sua utilidade para a construção de práticas sociais referentes tanto à inclusão da família no tratamento de saúde mental quanto à pesquisa como ação. (AU)