Busca avançada
Ano de início
Entree

O governador-geral Francisco Barreto de Meneses (1657-1663): trajetória, relações e correspondência nos arquivos portugueses

Processo: 11/23835-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 01 de abril de 2012
Vigência (Término): 31 de maio de 2012
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Leila Mezan Algranti
Beneficiário:Caroline Garcia Mendes
Supervisor no Exterior: Tiago C. P. dos Reis Miranda
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Local de pesquisa : Universidade Nova de Lisboa, Portugal  
Vinculado à bolsa:10/13870-5 - A circulação e a escrita de cartas do governador geral do Estado do Brasil Francisco Barreto (1657-1663), BP.MS
Assunto(s):Governo Geral   Período Colonial (1500-1822)   Biografias   Epistolografia

Resumo

O governo geral do Estado do Brasil foi exercido entre os anos de 1657 a 1663 por Francisco Barreto de Meneses. Este vassalo nascido no Peru ainda durante a União Ibérica foi grande prestador de serviços da coroa portuguesa, tendo lutado contra os holandeses em Pernambuco e contra os espanhóis na época da Restauração. Como recompensa por sua prestação de serviços, foi nomeado em 1657, governador geral do Estado do Brasil. O governador geral era o representante do rei na colônia, sendo responsável pela administração e defesa dessas terras tão distantes de Lisboa. Para exercer suas atividades era necessário, contudo, informar ao rei de tudo o que acontecia de importante do outro lado do Atlântico e agir conforme suas ordens. Para que essa relação fosse mantida, o único meio que havia era o envio e recebimento das cartas. Além disso, era dessa forma também que o governador geral administrava o restante do Estado do Brasil: através de cartas enviadas nos navios para o sul ou por mensageiros em terra. Somente durante o governo geral de Barreto, foram centenas de cartas escritas por ele tanto para o rei português como para governadores e capitães de capitanias. A pesquisa nos acervos brasileiros, tanto na série dos Documentos Históricos da Biblioteca Nacional como nos documentos do Projeto Resgate já respondeu a algumas questões deste trabalho. Nos Documentos Históricos pudemos perceber o intenso envio de cartas de Francisco Barreto de Meneses para outras autoridades nas capitanias do Estado do Brasil como governador geral. Nos mesmos Documentos e naqueles recuperados pelo Projeto Resgate foi possível localizar uma parte das cartas enviadas por ele a Portugal, tanto enquanto governador-geral como governador de Pernambuco. Conhecer melhor este interessante personagem do século XVII e reconstruir sua troca de cartas, oficiais ou não, é tema desta pesquisa. Procuramos compreender como Francisco Barreto de Meneses apreendia o mundo no qual vivia e as relações que construía ou reforçava, utilizando para isso o único meio que conhecia e tinha acesso: as cartas. O estágio de pesquisa na Universidade Nova de Lisboa - no Centro de História de Além-Mar - dessa forma tem o intuito de reconstruir a trajetória de prestação de serviços desse vassalo português e ampliar ainda mais a discussão sobre a cultura epistolar na qual se insere a sociedade daquele período. Para tanto, é fundamental a busca em arquivos como a Torre do Tombo, a Biblioteca Nacional de Portugal e a Biblioteca Eborense. O professor Tiago dos Reis Miranda, que aceitou orientar este estágio, além de ser profundo conhecedor dos arquivos portugueses e autor de interessante material sobre a cultura escrita em Portugal na época moderna, também é especialista na reconstrução de trajetórias, o que denota a importância que seus ensinamentos terão em nosso trabalho. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.